Lendo agora
Xô, bad trip

Xô, bad trip

Avatar

Por Helena Cecília de Fraga Verhagen*

Photo on Visualhunt.com

Cada vez mais tenho percebido como a sociedade, falando no geral, tem muito mais interesse e curiosidade em desgraças, tragédias e horrores do que em notícias boas, inspiradoras, divertidas, alto-astral. Sempre me lembro de um professor do mestrado em jornalismo que dizia que a mídia impressa viveria melhor se um Papa morresse a cada ano, por ser a notícia que mais vende.

Nos últimos anos também percebi que mesmo em nosso dia-a-dia, assuntos corriqueiros e bate-papos informais, o povo gosta mesmo é de uma bad trip. Se as coisas estão “bem”, ou seja, sem grandes problemas trágicos na vida da pessoa, muitas respondem: “Estou bem, mas…” Se ela está bem pode ser que traga a notícia ruim de alguém à tona, como: “Minha irmã está doente”, “A vizinha perdeu o marido”, “Minha amiga está desempregada”, “Meu país está em crise” e assim por diante.

Hey! Pera lá. Vamos respirar fundo! Vamos para dentro. Tudo o que está fora de nós é um reflexo do nosso mundo interior. Onde colocamos nossa atenção a coisa se multiplica. Por que falar de coisas ruins que não estão dentro de você?Por que seu olhar e foco mental estão em algum problema que não tem a ver com sua vida? E mesmo que você esteja triste por uma coisa, tenho certeza que há dez coisas que te deixam bem e que ao menos podem ajudar a neutralizar essa tristeza. O problema mesmo é que nossa sociedade super valoriza o sofrimento, a tristeza, a dor. Com o boom das mídias sociais, onde todos publicam “momentos felizes e bem-sucedidos”, é ainda mais assustador esse desequilíbrio, porque a pessoa posta algo como “estou triunfante” e aí, quando você liga para ela, ela está mal em casa por algum problema da vida comum.

Quem medita sabe do que estou falando, a consciência é o nosso termômetro. Ouvir nossos pensamentos e sentimentos é um milhão de vezes mais importante do que ficar falando da amiga que está desempregada. Sério! É nos pensamentos e sentimentos que encontramos a nossa verdade, ouvimos nosso coração e “agimos certo”. Se você está conectada com a sua verdade, quando receber a notícia da amiga desempregada, pode ser que se lembre de um anúncio de emprego que viu recentemente e que é perfeito para ela. Quando está conectado consigo mesmo você ajuda, transforma e flui com tudo ao seu redor.

Quanto mais vamos para dentro, mais o nosso entorno se transforma também. A nossa consciência age sabiamente e as consciências ao nosso redor também. Se ao acordar pela manhã você planta bons sentimentos dentro de você que podem vir de uma música, de uma oração ou apenas de tomar seu café da manhã com calma vendo as árvores da janela; você já cria um estado de espírito interno calmo, sereno, positivo e fluido, e assim encontrará com essa ressonância ao longo do seu dia. Já, se acorda histérico com o despertador, xingando os homens da obra, irritado, uma sucessão de eventos semelhantes que geram esses sentimentos se repetirão ao longo do seu dia.

Portanto, minha dica aqui é: preste atenção! Sobre o que você está lendo, curtindo, de onde está se nutrindo intelectualmente, com quem está conversando diariamente e em cada situação dessas como se sente e o que pensa? Talvez você se surpreenda e entenda de onde é que tem vindo uma sensação boa diariamente. Ou não, talvez se assuste com a quantidade de misérias que tem absorvido sem se dar conta de que tem a opção de escolher.

Por fim, uma dica que tenho estudado recentemente é: depois de perceber quem são as pessoas com quem mais convive e do que mais conversam, como você se sente e etc, perceba como aquela pessoa recebe notícias positivas vindas de você. Infelizmente, constatei recentemente que muita gente não sabe desfrutar de notícias positivas. Elas querem falar das coisas boas por um minuto para depois passar três falando dos problemas. Deveria ser ao contrário, não? Já que falar de coisas boas faz tão bem para os nossos sentimentos. Emoções, assim como pensamentos, vêm e vão. Desapegue-se do que não nutre seu bem-estar e conecte-se com sua consciência, com sua verdade maior e deixe que ela te leve às coisas boas que te esperam.

*Bem-Amada, de Barcelona para o mundo, sou uma cidadã planetária de coração cósmico. Tenho um livro publicado, “O Mundo é das Bem-Amadas” e nas mídias sociais compartilho minhas reflexões e profundezas de minha velha alma. Atendo “Sessões Bem-Amadas” além de escrever guias de autoconhecimento personalizados. Sou mística, yogi, tântrica, reikiana, jornalista, fashionista… Uma índigo multifuncional.

Facebook: https://www.facebook.com/bemamadasbyhelenacecilia/
Instagram: https://www.instagram.com/bem.amadas/
Livro: https://www.chiadoeditora.com/livraria/o-mundo-e-das-bem-amadas

Veja comentários

Deixe uma resposta

Vá para cima