Você escuta o seu corpo?

Por Ana Paula Fantin*

Quando iniciei o estudo sobre Reiki, eu andei pensando muito sobre o gesto que fazemos quando temos dor.

O nosso primeiro instinto nos leva a colocar a mão sobre a dor ou o órgão que incomoda, logo, pude perceber que isso é um pedido de socorro desesperado do nosso corpo para que possamos “afagar” a região dolorida, levando assim um pouco de amor para aquele local.

E isso é tudo que nosso corpo precisa mesmo: amor, toque, sensibilidade e acolhimento.

Nosso corpo é o nosso templo e podemos passar com ele mais de 80 anos. Porém, o que nem sempre nos damos conta é de que ele pode e deve ser nosso amigo e não motivo de incômodo. E para isso é preciso ficar atento. Estabelecer uma relação.

Quantas vezes sentimos aquela dor nas costas, nos ombros ou nas pernas e não paramos um minuto sequer para sentir que aquele peso vem da alma.

Tudo que reflete no nosso corpo já começou antes em algum lugar da mente.

Nosso corpo, maravilhosamente, é capaz de nos dizer até mesmo quais nutrientes e alimentos necessitamos mais. Mas quantas vezes passamos despercebidos por isso, ingerindo besteiras em grande quantidade?

Comigo por exemplo, algumas vezes ao acordar, o meu corpo só me pede água, muita água em outras, ele pede para eu me alongar.

Sempre fui daquelas que achava essencial almoçar e jantar da mesma forma e na mesma quantidade, mas aos poucos meu corpo começou a demorar mais para digerir a refeição da noite, fazendo-me sentir azia antes de dormir e ao acordar no dia seguinte. Ou seja, ele estava me dizendo que não estava adequado, eu precisava mudar aquele costume de alimentação e quando eu o fiz, a sensação foi muito agradável e hoje sinto que faz sentido para nós.

Nunca tive um anseio por me tornar vegetariana e ainda não sou, mas iniciando certos processos e práticas no meu dia a dia, hoje a carne não se faz mais tão necessária. Foi um processo natural em que meu corpo foi me mostrando, aos poucos, sobre outros alimentos que poderiam me fazer bem.

Enfim, os exemplos poderiam ser muitos porque o nosso corpo fala conosco de muitas maneiras. Encontre então a maneira ideal para você se conectar com o seu. Seja meditando pela manhã e acalmando um pouco seus pensamentos, seja através de exercícios de respiração diários, exercícios, ou quem sabe ouvindo uma música que te sintonize e faça você se perceber.

Mas precisamos entender que todos temos os nossos limites da natureza do nosso próprio corpo e se não o compreendermos, inevitavelmente, sofreremos as consequências. Não como punição, mas como todo processo de consequência natural na vida.

Fico pensando por quanto tempo eu estive em desconexão com essa forma divina que o universo me deu para sustentar a vida, chamada “corpo”.

Quantas sensações ruins eu ignorei por não ouvir o que, muitas vezes, pode ser um sussurro, mas que hoje se torna muito mais fácil de escutar.

Quantos milagres podemos operar em nós através desse relacionamento de amor e união com o nosso corpo?

Vamos nessa?

O que será que seu corpo está te dizendo hoje mas você nunca parou para ouvir?

*Sou viajante, escritora, praticante de yoga, amante da natureza, reikiana iniciada e apaixonada por tudo que envolva desenvolvimento pessoal e espiritualidade.

Uma vida baseada em uma frase: Conhece-te a ti mesmo.

“Parti em busca de um refúgio espiritual através de retiros, cursos, livros, terapias e meditação. No fim das contas, surpreendentemente, eu descobri que existia um refúgio no divino que habita dentro de mim.”

Instagram: fantinanapaula

E-mail: [email protected]

Deixe uma resposta

Por uma vida mais consciente

Você quer receber as novidades e promoções do Nowmastê no seu e-mail?