Vai com medo mesmo! (continuação)

Por Dulcineia Alcock*

“To handle fear is to move from a position of pain for one of power” (Lidar com o medo é mover de uma posição de dor para uma de poder) – Susan Jeffers

Neste artigo, continuamos explorando as dicas para lidar com medo do livro Feel The Fear and Do It Anyway (no Brasil: ¨Tenha Medo e Siga em Frente¨), da Susan Jeffers.

Se você ainda não leu, acesse a parte I.

Qual é minha necessidade?

A Carol Nalon,  que trabalha com Comunicação Não-Violenta, fala sobre autoempatia. Um dos exercícios que ela ensina é que quando você estiver sentindo uma emoção como raiva, por exemplo, você ponha a mão na barriga e pergunte: “Qual é a minha necessidade que não está sendo atendida?”

Susan ensina uma pergunta que segue a mesma linha, porém de uma posição em que você toma responsabilidade pelo resultado: “O que eu não estou fazendo, que eu poderia estar fazendo na minha vida, que eu estou culpando esta pessoa por não estar fazendo por mim?”

O que eu estou ganhando com isso?

Parece estranho, mas sim, você está ganhando alguma coisa quando deixa de fazer algo. Talvez o seu medo de mudar de emprego vem do fato que ali todo mundo já conhece o seu potencial, e se você mudar vai ter que provar que realmente merece estar ali.

Mesmo nas situações mais estranhas há um ganho: uma muita conhecida entre casais é brigar para depois fazer as pazes com sexo.

Se você não consegue descobrir o que está ganhando, pergunte a um amigo.

Que outras escolhas eu tenho?

Um dos benefícios de coaching é levar o seu cérebro a fazer novas conexões, levando-o a pensar fora da caixa.

Esta dica de Jeffers é sobre pensar quais outras escolhas você tem para ajudá-lo a superar o medo. Eu já citei em outro artigo o meu medo de escrever e me expor na internet. A saída pra mim foi programar o meu site para que os comentários sejam aprovados antes de serem publicados. Mas até agora o meu medo não teve fundamento, já que tenho recebido boas mensagens.

Então como você pode enfrentar o seu medo, usando o seu poder de escolha?

Quando você não escolhe, está escolhendo

Você não leu errado. Quando você diz que não consegue decidir entre ficar neste emprego que odeia ou fazer o que ama, ou procurar outro, você está escolhendo ficar onde está.

Tenha uma vida plena

Susan estressa a importância de que a vida tenha vários pilares que o façam sentir-se pleno.

Se a sua vida é baseada na sua relação, você vai passar o tempo todo sentindo medo de que algo de errado aconteça. Por que? Porque é tudo que importa pra você!

Se a sua identidade está ligada ao que você faz em seu trabalho, você vai passar os dias com medo de ser demitido, medo da crise, medo da aposentadoria.

Agora, se você construir a sua vida sobre vários pilares, aí sim fica mais fácil “lidar com o que vier”. Pense no que é importante pra você – trabalho sim, relacionamento sim, mas também espiritualidade talvez, família, amigos, fazer algo pela comunidade, desenvolvimento pessoal, enfim.

Use essas dicas e lembre-se: se sentir medo, vai com medo mesmo!

*Dulcineia Santos é terapeuta multidimensional, life coach e praticante certificada da ferramenta MBTI® de tipos psicológicos. Acredita que a vida é cheia de lições, e que se não as aprendemos não passamos pro próximo nível do jogo. Saiu de casa cedo e foi morar no mundo – agora está na Suíça, onde estudou antroposofia por três anos. Gosta de tomar cerveja no boteco enquanto papeia, de aconselhar, da língua portuguesa, de cozinhar, de ficar só e de flexibilidade de horários. É esotérica, mas acha que estamos encarnados pra viver as experiências terrenas com o pé no chão – de preferência dançando.

Facebook: /curadeamor
Facebook: /dulcineiasantos
Email: [email protected]
Instagram: @dulcialcock

Deixe uma resposta

Por uma vida mais consciente

Você quer receber as novidades e promoções do Nowmastê no seu e-mail?