Lendo agora
Sou Brasileira – Um projeto que revela a nossa cara

Sou Brasileira – Um projeto que revela a nossa cara

Nowmastê

Atualmente há muitas discussões sobre o quanto os estereótipos sobre a mulher, passados de geração em geração e amplamente divulgados nos meios de comunicação, podem formar uma imagem totalmente equivocada do universo feminino.

No caso da mulher brasileira, é fato que, em geral, não somos nem a mulata linda, sensual, curvilínea, nem a mulher do tipo europeu, alta, magra, cabelos lisos, loiros. E muitas vezes, nem jovens, nem heterossexuais…

sou2

Temos todas as alturas, todos os pesos, todos os tons de pele e todo tipo de escolhas e é justamente essa diversidade que forma a nossa beleza.

A partir dessa observação, duas mulheres resolveram registrar essa pluralidade e mostrá-la ao mundo por meio do projeto Sou Brasileira. Camila Martinez Lima, publicitária e Lea Marie Geyser, administradora, ambas com 26 anos saem por diversos bairros e cidades perguntando às mulheres sobre aspectos importantes de suas vidas. De volta, recebem depoimentos sinceros, surpreendentes e, algumas vezes, difíceis. Eles são postados na página do Facebook com a foto de cada uma das participantes. “Vamos atrás das histórias de Gabrielas, Amandas, Manoelas e Júlias que foram abordadas pelas ruas de diversos cantos do país e que toparam mostrar um pouco de suas vidas pra gente admirar, se identificar e se inspirar”, contam as idealizadoras.

sou
logotipo na página do Facebook

O trabalho é tão bacana que o Nowmastê também vai compartilhar algumas da histórias aqui, quinzenalmente. Afinal, quanto mais próximo for o retrato da brasileira perante nós mesmas e o mundo, mais afirmaremos a nossa verdadeira identidade. Veja algumas delas:

1
“Quando eu trabalhei nas empresas, sempre com treinamento e com gestão de pessoas e liderança, eu percebia que está se perdendo isso de uma geração passar a sabedoria que atingiu pro outro. Tá todo mundo confiando na internet, no livro, na escrita, mas existem coisas que é só sentimento, é presencial. Foi nesse momento que eu decidi fazer a especialização em pedagogia Waldorf, pra quando eu me aposentasse das empresas, poder trabalhar com as crianças com uma visão mais humanizada. Aí eu me encontrei, porque o princípio dessa pedagogia é justamente mostrar pras crianças coisas que fazem sentido. Então as crianças fazem o pão junto com a gente, participam das atividades na escola como se fosse um lar estruturado e isso faz com que, quando eles crescerem, sejam nutridos e providos de vontade. De poder ir pro mundo e transformá-lo pra melhor. Sem a invasão e respeitando a natureza.”

2
“What do you like about Brazil?”
“I like Brazil… I like the people… Festa!… Muito …ah… caldo!”
“And why do you like selling balloons?”
“Because I don’t like work! So… I make this, a flower, and offer it to you, and you offer me what you want. “
——-

“O que você gosta do Brasil?”
“Gosto do Brasil.. Gosto das pessoas.. das festas… Ah… o calor!”
“E porquê você gosta de vender balões?”
“Porque não gosto de trabalhar. Então…faço isso, uma flor, e ofereço a você, e você me oferece o que você quiser.”
– (Uma italiana que quer ganhar um toque de brasileira)

3
“O momento que eu me senti mais bonita foi quando eu tive a minha filha. Logo que eu saí do hospital e eu estava amamentando foi quando eu me senti mais linda.”

Confira a página do Sou Brasileira no Facebook.

Veja comentários

Deixe uma resposta

Vá para cima