Lendo agora
Sorte ou Azar?

Sorte ou Azar?

Nowmastê

Por Carol Lefevre*

maybe_bx1

Vocês conhecem a história do agricultor chinês? Porque essa tem sido a minha história desde o começo do ano.

Um agricultor chinês tinha um cavalo que num certo dia sumiu, seus vizinhos vieram e disseram “que azar!”, ele disse “talvez”. No dia seguinte o cavalo voltou com mais 5 cavalos selvagens, os vizinhos vieram e disseram “que sorte!” e ele “talvez”. No outro dia o filho do agricultor caiu ao andar em um dos cavalos e quebrou a perna, os vizinhos disseram “que azar” e ele “talvez”, na outra manhã oficiais bateram na porta do agricultor para recrutar seu filho, mas quando viram que estava com a perna quebrada, desistiram e os vizinhos vieram e deram parabéns, que boa sorte e o agricultor… Talvez.

Eu ia para o Japão em abril, visitar mosteiros, praticar e depois viajar pelo o sudeste asiático. Em janeiro quando comecei a me organizar descobri que não poderia pedir o visto japonês estando no EUA com visto de turista, teria que voltar para o Brasil o que não seria possível agora.

Que azar!
Talvez…

Então decidir ficar aqui no Zen Center até junho e ir para o Solstício de Verão, grande encontro de Kundalini Yoga no Novo México, onde aproximadamente mil pessoas se reúnem para aulas, shows de música e meditação. Nos últimos 2 anos planejava ir e não pude. Perfeito!

Que sorte!
Talvez…

Eis que em Fevereiro fui ao México de férias e também porque estava completando 6 meses nos EUA e precisava sair do país. Na volta, no aeroporto, me mandaram para a sala da imigração, a “salinha” onde fazem perguntas e entrar ou não nos EUA depende dos oficiais que estão ali. Por um momento não sabia o que ia acontecer. Vão me mandar de volta para o México? Vão me dar só um mês? O usual é darem 3 ou 6 meses e eu tinha uma carta do Zen Center dizendo que eu ficaria 4 meses. Tinha feito isso das outras vezes e não tinha tido problema, pedia 4, ganhava 6 e tudo certo. Depois deles olharem a página do Zen Center resolveram me dar exatamente 4 meses. Ufa, consegui entrar nos EUA, mas… tinha que sair até o dia 15 de junho, ou seja, uma semana antes do Solstício de verão começar.

Que azar!
Talvez…

Sem o novo México em junho decidi então aproveitar e conhecer Tassajara o Zen Center nas montanhas que eu ainda não tinha conseguido visitar e o primeiro mosteiro budista fora do oriente, e um lugar que sempre quis conhecer e ainda não tinha tido a chance. Depois disso vou para o México e vou iniciar uma nova etapa da minha jornada, vou passar uma semana em Guadalajara visitando amigos e depois para a costa de Oaxaca onde através do site workaway vou fazer um projeto de arte em troca da minha estadia lá. UAU!!!

Que sorte!!
Talvez…

Enfim, posso dizer que tem sido um aprendizado de lidar com a realidade como ela se apresenta, e procurar lidar com equanimidade. Estou animada com a nova etapa da minha jornada e aprendendo a lidar com os imprevistos. Estou indo em direção ao Brasil e fazendo o caminho ao andar.

Carol

Conheça mais sobre a Carol aqui e também seu projeto Pedaços do Caminho.

Veja comentários

Deixe uma resposta

Vá para cima