Lendo agora
Sobre mudar, compartilhar e colaborar

Sobre mudar, compartilhar e colaborar

Nowmastê

Por Lyvia Lozano*

Há 10 anos acabei a minha faculdade, peguei meu diploma e fui enfrentar a cidade grande em busca de um trabalho e uma nova vida. Passei 10 anos trabalhando como arquiteta em novos negócios do mercado imobiliário. No começo me via apaixonada pela profissão, comecei um MBA, onde desenvolvi uma análise de projeto social que foi publicada em uma conferência internacional. Eu tinha tudo para continuar naquela linha de atuação, mas algo me inquietava pois me via trabalhando mais pelo dinheiro e não fazendo algo significativo para a sociedade.

Em 2016 eu tive a oportunidade de voluntariar na Virada Zen, o que deu um up na rotina que eu vivia E me fez começar a ver que provavelmente eu me sentiria mais feliz fazendo outro tipo de coisa no meu dia a dia. Além de me abrir para o mundo do trabalho voluntário não só com o caráter altruísta, mas especialmente como alimento pra minha alma pois eu estava imersa em algo que me despertou mais interesse que o meu trabalho.

Em setembro daquele mesmo ano passei as minhas férias no deserto do Atacama, onde pensei muito sobre o que fazer com a minha vida. Sem uma resposta muito certa, mas com um sentimento enorme de que algo deveria ser mudado, voltei e comecei um movimento para mudar tudo o que era rotina, tudo o que eu tinha construído de profissional e material até ali.

Sempre fui apaixonada por sustentabilidade, mas o foco no trabalho que me pedia muita atenção para estar sempre atualizada das milhares de mudanças na legislação urbana das cidades e desenvolver projetos a partir disso me tomava toda a energia, e eu acabava não vivendo o que eu exatamente queria. Também sempre tive muita vontade de morar no exterior, então comecei a procurar cursos voltados à sustentabilidade principalmente na Holanda, pais ao qual eu mais me identifiquei quando fiz meu mochilão pela Europa, e que eu via como um dos ícones do assunto. Pelo custo/benefício acabei optando por estudar Energias Renováveis por 2 meses em Florianópolis no começo de 2017.

E neste curso, por ser a única matriculada em Energias Renováveis (a idéia maior da academia é desenvolver o desenvolvimento da pessoa e o trabalho em grupo), acabei migrando pra Biohaking. Eis que meu professor foi demitido na primeira semana de curso, e novamente migrei, agora para empreendedorismo. Entendi então a mensagem de resiliência e adaptação que o universo provavelmente estava querendo me passar.

Como projeto do curso de empreendedorismo da Exosphere Academy eu criei um evento aos moldes da Virada Zen, que tinha mexido tanto comigo. A idéia era evoluir como empresa de eventos e replicar o Well-Being Festival em outros anos e também em outras cidades.

Mas eu tinha uma sócia que me fez ver que aquilo talvez ainda não fosse o que o meu coração queria, e me disse: você é do mundo, vc nasceu pra voar! Segue esse desejo de viver outras culturas que vai te fazer mais feliz que aqui.”

Então em um mês eu desembarcava em Schipol, o aeroporto de Amsterdã, pra aprender na Holanda a sustentabilidade que sempre me fascinou, mas que eu até então não estava muito consciente, por não ter ainda vivido isso. E assim começou a minha pesquisa em Sustainable Living.

Na Holanda eu oficialmente voluntariei em 3 projetos de caráter sustentável:
– The Living Village Festival – Um festival em Dalfen
– StadsNomaden – Uma ecovila em Nijmegen
– Adventures of Valparaíso – Um barco em Amsterdã

The Living Village Festival

StadsNomaden

Adventures of Valparaíso

Além destes voluntariados eu participei de palestras e workshops, visitei lugares e conversei com desenvolvedores e pessoas engajadas em projetos sustentáveis.

Estou escrevendo todas estas experiências no meu site  e a idéia é que a pesquisa seja a base para um mestrado, e que então eu me torne professora de sustentabilidade, pois acredito que é algo que deva ser vivido e entendido pelo maior número de pessoas possível. Realmente acredito que este entendimento possa ser um pontinho de luz no mundo.

E este é o meu projeto: Sustainable Maya, onde eu conto o que eu vivi e aprendi nestes dois meses, a origem do nome do site, além de várias conexões sobre sustentabilidade.

E você?

O que sustenta a sua vontade de se levantar da cama todos os dias?

O que sustenta a sua vida hoje?

O que sustenta a sua cultura? Qual é a sua cultura?

Lyvia te convida para se fazer também estas perguntas, e vir ouvir o caminho que ela encontrou quando foi em busca das suas novas respostas. 😉 Sexta, dia 25 de agosto tem palestra e roda conversa com a Lyvia! Evento Gratuito que faz parte da Virada Sustentável.

Todos os detalhes aqui :
 https://www.nowmaste.com.br/evento/projetos-sustentaveis-na-holanda-experiencias-de-lyvia-lozano/

Veja o comentário
  • a vontade de sair da cama e de seguir a caminhada no dia-a-dia, pra mim, é regada pelas infinitas possibilidades que o Universo nos impõe. ter espaço e gana de criar, desde meu café-da-manhã até minha atividades diárias, isso é meu impulso. e eu não gosto de repetição..viva o novo e a transformação

    agora falar de cultura é cair na mesmisse, na massa que quase não se diferencia, no fazer as coisas por costume, hábito, tradição. existe algo de rico nas culturas e tradições, mas ao meu ver elas devem ser tratadas com muito zelo pra não se mesmerizar e perder sua autenticidade.

    sucesso com seu projeto!

Deixe uma resposta

Vá para cima