Shiva – o Deus dos Yogis

Por Fernanda R. Lima Vasconcelos*

10409234_10206212691652317_8850080697598041244_n-1

Shiva, é o Deus dos Yogis, aquele que destroi para construir algo novo.

Aquele que transforma.
Aquele que renova.

Sempre digo que na tradição Hindu, todos os Deuses são representações dos poderes e capacidades que temos dentro de nós. Para nós seres humanos, é mais fácil reverenciar os poderes dos Deuses e seres divinos, do que os nossos poderes internos.
Muitas vezes esquecemos das nossas reais capacidades.
E do quanto somos fortes e divinos! De que somos todos Deuses!

Então, quando reverenciamos Shiva, estamos na verdade lembrando do nosso poder interno de transformação, de renovação, de destruir medos e crenças negativas.

Quando reverenciamos Ganesha, o Deus com cabeça de elefante, o removedor de obstáculos, na realidade estamos nos conectando com a nossa vontade de remover tudo que não serve mais. Com a nossa intenção de começar algo novo, mais verdadeiro e mais real.

E assim acontece com todas as outras representações das divindades.

Vamos então iniciar uma jornada aos caminhos internos.
E o caminho mais fácil de acessar esse caminhos internos, é através dos mantras.
Os mantras são sons de poder milenares e muito poderosos.

Cada divindade tem seu mantra.

O mantra raiz de Shiva é Om Namah Shivaya
Quando cantamos esse mantra, cada célula de nosso corpo percebe que somos essa divindade.
Que somos esse poder cósmico que transforma nossa consciência.

Sugiro que cada um de nós, cante esse mantra 108 vezes por 21 dias seguidos. Porque 108 vezes? De acordo com as escrituras védicas, no nosso corpo há 108 grandes Nadis ou canais de energia. Quando cantamos um mantra 108 vezes a energia flui por todo o corpo físico e sutil. E também de acordo com as tradições na Índia, para um mantra começar a mudar a frequência no corpo é necessário pelo menos 21 dias seguidos. Sugiro que você use um Japamala, um colar feito de 108 sementes, contas ou pedras, tradicionalmente usado como um instrumento de oração.

Pode ser canto em voz alta, ou pode ser entoado mentalmente.
Você pode praticar sozinho, ou em grupo.
O importante é conectar-se.
Vamos unir nossos corações e mentes e formar uma corrente poderosa onde tudo é possível!

Namastê!
Boa jornada!

Fernanda Lima

*Fernanda R. Lima Vasconcelos vem seguindo no no caminho da evolução da consciência e de um profundo estudo das filosofias da Índia desde 2004. Apaixonada pelo desenvolvimento do ser humano e de como podemos integrar todas as partes de nossas vidas. Formada em Yoga Massagem Ayurvédica pela Ayurveda pela Escola Yoga Brahma. Também é formada em Yoga com as professoras Marcia de Luca e Greta Hill num programa único que misturou com grande harmonia as ciências irmãs Ayurveda e Yoga. Seu propósito de vida ou Dharma é levar esse conhecimento milenar até vocês e de alguma forma plantar uma sementinha de amor, paz, bem estar, união e conexão com a sua própria essência.

tudodeom.blogspot.com.br

2 Comentários

  1. Shiva, é o Deus dos Yogis, aquele que destroi para construir algo novo.? Pode explicar isto? Não faz sentido um Deus construir e depois destruir. Que texto sagrado explica isto?

Deixe uma resposta

Por uma vida mais consciente

Você quer receber as novidades e promoções do Nowmastê no seu e-mail?