Quem pensa por si mesmo é livre

Por Ana Paula Fantin*

Quem sou eu e quem é você sem a influência da sociedade, da tv e dos jornais?

Será que você gosta mesmo daquele estilo de roupa que usa. Quando começou a usar e por que?

Quais são as raízes dos nossos desejos? De onde vem os nossos pensamentos? De nós mesmo, vazios, ou de uma voz que vem de fora e domina o nosso ser?

Eu sou eu ou sou o que você quer que eu seja?

Onde comecei a pensar em conjunto com a minha família? Quando comecei a criar percepções de mundo pelas minhas próprias experiências e não pelas experiências dos outros?

Quem sou eu e quem é você?

É possível distinguir o que nos trouxe e nos forçou até aqui como seres individuais? Aliás, você se percebe individualmente?

Se não se percebe, deveria. Porque para estar em contato com outro ser humano a gente sempre precisa ter propriedade de si próprio. Fazer morada na casa interna e sólida que construímos. Se não, nosso castelo de areia pode desmoronar a cada vez que lidamos com o outro, por estarmos identificados com modelos que não somos nós, mas queremos ser e nem sabemos o porquê.

Talvez fomos privados de pensar quando éramos crianças mas não somos privados de nos questionar agora.

Quem sou eu e quem é você? Eu me pergunto todos os dias quando me levanto.

Há quem diga que sou desconfiada, mas não sabem eles que eu confio, hoje eu confio na vida e na minha própria intuição. No ser humano e puro que nascemos quando crianças e que lá começamos a ser condicionados. É para esse ser que eu procuro voltar todos os dias. Diante de decisões que preciso tomar, diante de pessoas que vou encontrar, diante de universos que vou conhecer.

Para eu lidar com o outro eu preciso relembrar de quem sou eu mesma, de quem era eu quando sabia fazer o meu modo de viver.

Quem pensa por si mesmo é livre e só essa liberdade nos faz ser capazes de se arriscar. Só essa liberdade nos faz ser capazes de errar e olhar para nós mesmos com compaixão. Porque não importa onde estivemos até agora, mas sim quem desejamos ser, livres de amarras que não correspondem com um ser único, mas com uma série de fatores que nos influenciaram.

Parafraseando Flávio Siqueira: “Eu sou você e sou muitos.” Mas não sou um modelo fechado em uma caixa.

Um universo pode ser criado à partir de uma nova ideia. Seja ela sobre nós mesmos ou sobre o mundo em que vivemos.

O importante é nunca deixar de se questionar.

*Sou viajante, escritora, praticante de yoga, amante da natureza, reikiana iniciada e apaixonada por tudo que envolva desenvolvimento pessoal e espiritualidade.

Uma vida baseada em uma frase: Conhece-te a ti mesmo.

“Parti em busca de um refúgio espiritual através de retiros, cursos, livros, terapias e meditação. No fim das contas, surpreendentemente, eu descobri que existia um refúgio no divino que habita dentro de mim.”

Instagram: fantinanapaula

E-mail: [email protected]

Deixe uma resposta

Por uma vida mais consciente

Você quer receber as novidades e promoções do Nowmastê no seu e-mail?