Quanto comer?

Por Luiza Camargo*

porcoes (1)Todos nós já ouvimos: “coma menos”, “reduza suas porções”, “feche a boca”, “não coma com os olhos”.

Comer menos significa consumir porções menores nas refeições e incluir lanches intermediários, respeitando sua fome e seu espaço físico no estômago.

Isso você já escutou muitas vezes! Sim, e mais…adicionar qualidade ao que irá escolher para você comer.

Vamos ver por que?

O acesso aos alimentos de uma forma mais barata se deu a partir da década de oitenta, o que acabou desvalorizando a comida que ingerimos. Chegou a mesa comidas prontas, mais convenientes e porções grandes. Isso contribuiu muito para o aumento das calorias ingeridas e, como consequência, da obesidade.

Michael Pollan, em seu livro Em Defesa da Comida, traz a reflexão sobre: “Como pagar mais caro pela comida nos ajuda a comer menos?” Pelo “custo do alimento” não só pelo financeiro, mas pelo esforço para ser servido.

O acesso a comidas prontas fez com que aumentássemos as calorias consumidas em nosso dia. Além das porções servidas terem aumentado muito com o passar dos anos. Com isso, adicionamos mais calorias nas refeições sem ter, necessariamente, fome para consumí-las.

Ele dá o exemplo de comer batata frita. “Com que frequência você comeria batatas fritas se tivesse que descascar, lavar, cortar e fritar as batatas você mesmo – e depois limpar tudo?”

Já se perguntou?

Essa facilidade de ter comidas prontas nos ajuda, mas pode ser uma “pegadinha” também. Por isso, temos que escolher o que comer e buscar comida de qualidade.

Olhe a figura abaixo. O tamanho do círculo é diferente?

circulos

O da esquerda parece ser menor, mas são do mesmo tamanho. O tamanho do prato também influencia a porção que iremos colocar. Não se prenda pelo prato, mas pela comida que está nele e os sinais internos de fome e saciedade.

Estar atento a quantidade que seu corpo, seu estômago aceita de comida. E usar o sábio ensinamento oriental de comer até ficar 80% cheio. Deixe um espaço para seu estômago poder “trabalhar”.

A Alimentação Consciente (Mindful Eating) ajuda a despertar esses sinais internos e reconhecer as sensações de fome, de saciedade, a reconhecer quando pode comer um pouquinho mais ou se é hora de parar. Como um observador, com curiosidade e sem críticas ou julgamentos.

Venha conhecer mais sobre o Programa Alimentação Consciente – Mindful Eating e aprender a perceber e respeitar suas fomes, antes, durante e após as refeições. É um treinamento de 8 semanas com 9 encontros e começa em março de 2016. Clique aqui e saiba todos os detalhes.

Referências:

Michael Pollan, Em Defesa da Comida. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2008.

Marle Alvarenga et al. Nutrição Comportamental. São Paulo: Manole, 2015.

Luiza Camargo Mendes

*Luiza Camargo Mendes é nutricionista (CRN 3 – 21165) e acredita na união da Nutrição, Mindful Eating e Meditação. O alimento é um veículo para nutrir o corpo e a mente e, também um reflexo de como lidamos com nossas vidas.

Contatos:

www.luizacamargo.com.br

[email protected]

​​

Deixe uma resposta

Por uma vida mais consciente

Você quer receber as novidades e promoções do Nowmastê no seu e-mail?