Lendo agora
Pare de tentar ajudar os outros

Pare de tentar ajudar os outros

Avatar

Por Gustavo Tanaka*

cristal

Ajudar os outros é legal.

A gente se sente bem. Faz bem pro coração e pro ego também.

É dando que se recebe. A gente já aprendeu isso.

Mas a grande verdade é que só é possível dar o que você tem de sobra.

Se você tem pouco e dá o pouco, os dois morrem de fome.

Se você tem pouca energia e doa essa pouca energia, os dois ficam doentes.

Se você está com as suas dificuldades, você precisa cuidar delas antes.

Sabe aquele discurso do avião de que você precisa colocar a máscara de oxigênio em você antes de colocar em quem está ao seu lado?

Acho que na vida é a mesma coisa.

E isso é uma das coisas que eu mais insisto em não aprender.

Você somente dá o que transborda.

Sempre que eu me esqueço disso, eu lembro da deusa hindu Lakshmi.

lakshmi

Lakshmi, a deusa da riqueza e da prosperidade, recebe com a mão esquerda e doa com a mão direita.
Mas o “truque” é que ela somente consegue doar porque ela transborda (veja o jarro na imagem). Ela tem tanto, que até transborda.

E é nessas horas que você consegue ajudar os outros. Quando você transborda.

Quando você transborda de amor. Quando você transborda de alegria. Quando você transborda de energia. Quando você transborda de abundância.

Quando você não transborda, você não ajuda direito.

E é isso que vou fazer hoje.

Vou cuidar de mim.

Amanhã talvez eu transborde. E aí eu posso ajudar.

Enquanto eu estou incompleto, é melhor cuidar de mim mesmo.

Não é egoísmo.

Você não chama de egoísta uma pessoa que coloca a máscara de oxigênio nela mesma antes.

Cuide de você.

E cuidando de você, você vai cuidar de muita gente.

Mude a você mesmo e aí você muda seu entorno.

E aí o mundo muda também…

Se esse texto ressoou e você sentir vontade de retribuir, você pode fazer uma contribuição clicando aqui.

Eu serei grato por poder seguir compartilhando textos livremente…

Gustavo Tanaka

O que leva um executivo a largar uma carreira promissora em empresa multinacional, largar diferentes empreendimentos e seguir um chamado do coração? Gustavo Tanaka revela em seu primeiro livro“11 Dias de Despertar – Uma Jornada de Libertação do Medo”como esse processo de busca por propósito que já durava alguns anos o levou a ter as respostas que sempre procurou. O autor compartilha conosco sua jornada, quando chegou a um limite pessoal, pediu ajuda e, repentinamente, passou a formular perguntas e ter respostas imediatas de uma Fonte superior, levando-o ao que ele designa “meu” processo de despertar. Facebook.

 

Meus projetos

Se esse texto ressoou e você sentir vontade de retribuir, você pode fazer uma contribuição para ele clicando aqui.

Eu serei grato por poder seguir compartilhando textos livremente…

Veja comentários (4)

Deixe uma resposta

Vá para cima