Lendo agora
O tambor e eu, eu e o tambor

O tambor e eu, eu e o tambor

Nowmastê
Por Denis Rojas*
unnamed
No ano de 2001, lá estava eu, na minha primeira participação em uma dança xamânica, a contragosto, perguntando o tempo todo o que eu estava fazendo ali, naquela cerimônia de 3 dias em silêncio e em completo jejum, de comida e também de água, só dançando ao som de um tambor nativo e de algumas canções que eu desconhecia completamente, desde o amanhecer até o pôr-do-sol…. “isso é coisa para loucos…”
 
Resisti bravamente e ao final da dança, me senti com o espírito mais leve e grato mas não pensava em participar de novo daquela experiência em suas próximas edições.
 
Um ano depois fui convencido a participar novamente em nome de um compromisso que precisava ser honrado. Como já sabia o que vinha pela frente, pensei comigo: “tudo certo, é bem tranquilo… dessa vez vou lá, relaxo, danço e me divirto…”
 
Foi então que, durante o segundo dia da dança num determinado momento, enquanto dançava ao som ritmado das batidas do tambor, eu fui tocado…
 
Uma sensação forte, poderosa, impossível de ser expressa em palavras… uma epifania que não durou mais do que 5 segundos e que foi uma das sensações mais poderosas que já senti na vida… eu me transformei no tambor e ele se transformou em mim…
Fiquei atordoado e continuei a dança até o seu final mas não falei para ninguém dessa minha visão durante muito tempo, até que eu mesmo percebesse que eu tive a honra de ser abençoado pela medicina e pela magia do tambor durante aquela cerimônia.
 
O fato é que minha vida começou a se transformar a partir de lá. O tambor e eu ficamos amigos. Ele me escolheu para seu instrumento de poder. Passei a aprender canções sagradas e desde então, participo como chefe do tambor nas cerimônias conduzidas aqui no Brasil pela querida Felicity Macdonald, cerimônias essas de inspiração de Joseph Rael – Beautiful Painted Arrow.
Anos mais tarde, num encontro especial que tive com o mesmo Joseph Rael, Beautiful Painted Arrow,
contei a ele o que aconteceu.
 
Ele me falou que, naquele momento, houve um alinhamento do centro do meu Ser com o centro da Galáxia, com o tambor fazendo essa conexão. Dessa forma, estaremos ligados para sempre…
 
E hoje, juntos, vamos seguimos pelas cerimônias da vida. Me tocando, o tambor vai me curando… e vai curando também os corações que cruzam nosso caminho em várias as situações: danças, rodas de cura, buscas de visão, rodas de tambores…
 
Uma sensação de alegria e bem-estar de se unir aos espíritos ancestrais através de suas batidas que acompanham músicas sagradas resgatam uma medicina poderosa tão necessária para trazer de volta a cura e a beleza dos filhos da Mãe Terra.
 
Assim aconteceu e continua acontecendo comigo.
 
Denis-Ahow!
 
CONVITE
 
O tambor sempre convida amorosamente para que mais pessoas se conectem com suas batidas, que são as batidas do coração da Mãe Terra. Isso é sempre muito bem vindo e mais do que nunca necessário nestes momentos em que vivemos.
 
Fique por dentro da agenda de cerimônias e oficinas de confecção de tambores em Nazaré Uniluz
 
Denis
*DENIS ROJAS – Mentor com abordagem xamânica. Chefe do tambor em cerimônias e danças sagradas chefiadas por Felicity Mcdonald no Brasil. Iniciado nos ensinamentos do sagrado caminho vermelho por Joseph Rael, Beautiful Painted Arrow, nativo visionário norte-americano dos Pueblos Ute e Picuris. Com a inspiração das Cartas do Caminho Sagrado faz aconselhamento pessoal com abordagem Xamânica.
Veja comentários

Deixe uma resposta

Vá para cima