O signo ascendente na visão de Sid Porto

Nascimento: tudo começa aqui. Quando saímos do útero e nos tornamos indivíduos únicos, o mapa natal é desenhado e nossa trajetória tem início por meio das casas astrológicas.

Nesse contexto, o ascendente, ou casa 1, é o início de um ciclo e reflete as características do momento.  O ascendente mostra o grau exato do signo que está sendo levantado no horizonte oriental na hora de nascimento e vai influenciar a forma como nos apresentamos ao mundo, o que projetamos, a forma como vemos a realidade.

O ascendente é a maneira como “entramos” nessa vida, sem esquecer que é o signo solar que mostra como nos desenvolvermos nela.  No mapa, a primeira casa é o setor da personalidade, ritmo cardinal, elemento fogo e regido naturalmente por Marte. Uma boa casa 1 nos impulsiona a entrar na vida como guerreiros, prontos para a luta!

Não é por acaso que, lá na frente, seremos cobrados a trabalhá-la ao entrar em contato com nosso MC – meio do céu (casa 10, carreira, imagem social, rumo da vida).

Ele também representa o caminho do nosso ego. Como diz a astróloga Liz Greene: o sol (signo) é a razão pelo qual estamos aqui e o ascendente (Casa 1) é como chegaremos lá. Nosso mapa é uma grande viagem, o Sol é quem viaja e o ascendente é o roteiro desta viagem e o que levamos nela.

ascendente

O ascendente nos mostrará as ferramentas disponíveis para a viagem desta vida. Não é à toa que Áries representa a casa 1 no zodíaco, é o natural impulso para o início das coisas novas, o ponto de partida para tudo, a construção da personalidade.

Planetas na casa 1 mostram o potencial para vitalidade física, saúde, vontade própria , o comando da vida, o livre arbítrio e a independência. Indicam ainda para que, como e onde vamos buscar esses elementos.

Uma boa casa 1 nos dá de presente a capacidade de buscar nossa autossuficiência e força , além de facilitar a projeção do nosso ego , porém uma casa 1 tensa pode trazer crises de identidade, criando personagens diferentes e se perdendo em  muitas “máscaras”.

Aqui, vale a reflexão:

Ninguém te tira o que deves fazer. Esta é a tua liberdade. Esta é a tua responsabilidade.

Uma das perguntas mais comuns nos meus atendimentos astrológicos é: “é verdade que após os 30 anos o ascendente se torna mais forte que o meu signo?”. A resposta é : presume-se que ao completar 30 anos de idade já estamos mais ciente do que somos, do que queremos e de como queremos. Ou seja, supostamente o auto reconhecimento torna-se mais fácil e, assim, assumimos melhor o real jeito de ser, ficamos mais à vontade com a real personalidade (o signo solar). Importante colocar que é no retorno da Lua Progredida, aos 27 anos, e no Retorno de Saturno, por volta dos 29 anos, que teremos melhor referência da nossa estruturação emocional.

 

Captura de tela 2014-01-20 19.11.20

*Sid é astróloga formada pela Gaia Escola de Astrologia.

Mapa Natal, Previsão, Astrologia Infantil, Empresarial, Eletiva e Sinastria para Casais e Sociedades.

[email protected]

Deixe uma resposta

Por uma vida mais consciente

Você quer receber as novidades e promoções do Nowmastê no seu e-mail?