O significado das coisas é uma escolha nossa

Por Ana Paula Fantin*

Quase nada vem com um significado embutido e que queira dizer uma coisa só. Tudo são pontos de vista e verdades que cada um traz em si.

A maneira como olhamos as coisas imprime o que temos em nós e não necessariamente o que se é.

É claro que, se estamos falando de objetos e fatos específicos, como por exemplo: Uma casa está pegando fogo. Ok, uma casa está pegando fogo! Sabemos que é uma casa pegando fogo.

Mas eu estou falando aqui sobre o que o fato de a casa pegar fogo significa para nós. Você me entende?

Quando gostamos de alguém, atribuímos a isso um significado nosso que, se olhado e vivido por outra pessoa, poderia ser totalmente diferente.

Para ficar um pouco mais claro podemos partir do conceito que alguns instrutores utilizam na meditação e em práticas de autoconhecimento no dia a dia. Ele se baseia no fato de que as coisas são objetos que estão alheios à nós até que façamos conexão com eles e disso saia uma percepção, uma impressão, mas uma impressão do que está em nós. É um mundo que criamos à partir daí.

Quando eu amo uma pessoa, sou eu que decido dar significado a esse amor, independente do romantismo e das crenças que trazemos com isso para nossa vida. Alguns já vem implícitos, como o amor óbvio que temos pelos nossos pais, outros, construímos com o tempo. Mas, sempre, à partir de nós.

Quando nos decepcionamos ou nos empolgamos com algo ou alguém, foi um significado nosso que surgiu ali, porque a verdade é que as pessoas são o que são e não fazem nada por nós e para nós. Mesmo quando pensamos que fazemos pelo outro, de fato, estamos fazendo por nós mesmos. Nossas escolhas sempre saem de um lugar dentro de nós. É muito simples entender.

Então, penso eu, se as coisas tem o significado que damos a elas, isso nos leva a compreender que nada é estático, nada é imutável. Logo, uma situação desagradável ou de dor pode ser compreendida de diversas formas onde até mesmo possamos parar de sentir o sofrimento sobre isso. Assim como podemos ficar atentos para o fato de que coisas boas também o são à partir da nossa perspectiva.

Que maravilha o nosso poder de escolha, o nosso poder de ser muitas coisas e nada ao mesmo tempo. Isso é entender a flexibilidade da vida. Ela é leve quando, muitas vezes, damos um peso grande a leveza. E ela pode ser pesada se fizermos o contrário.

Quanto mais nos entendemos e investigamos as lacunas do nosso ser, mais claro fica saber sobre o porquê de estar seguindo tal caminho ou atribuindo tal significado a ele.

Tudo é válido e tudo é legítimo, desde que faça sentido para nós.

*Sou viajante, escritora, praticante de yoga, amante da natureza, reikiana iniciada e apaixonada por tudo que envolva desenvolvimento pessoal e espiritualidade.

Uma vida baseada em uma frase: Conhece-te a ti mesmo.

“Parti em busca de um refúgio espiritual através de retiros, cursos, livros, terapias e meditação. No fim das contas, surpreendentemente, eu descobri que existia um refúgio no divino que habita dentro de mim.”

Instagram: fantinanapaula

E-mail: [email protected]

Deixe uma resposta

Por uma vida mais consciente

Você quer receber as novidades e promoções do Nowmastê no seu e-mail?