Lendo agora
O poder da concentração

O poder da concentração

Nowmastê

Trecho do livro “Know your Mind” de Paramahamsa Prajnanananda

Concentrar-se em pensamentos e emoções negativas é uma das principais razões através das quais as pessoas têm problemas psicológicos. Ao concentrar-se em um pensamento, a pessoa começa a identificar-se com ele. Se alguém nutre pensamentos negativos, em última análise, impõe danos a si mesmo. Depois de permanecerem por um longo período de tempo neste estado miserável, as pessoas sentem-se incapazes de livrarem-se dele. Tal estado começa a ser mentalmente debilitante. É por isso que os psiquiatras prescrevem frequentemente medicação como forma de mudar os padrões de pensamento de uma pessoa. Sem dúvida, mudar os pensamentos é a chave para restaurar a estabilidade mental.

Como afirmado anteriormente, a agitação é da natureza da mente ordinária. Quando vivemos a vida como pessoas comuns, às vezes estamos com raiva, às vezes somos felizes. Contudo, aqueles de nós que desejam meditar, na esperança de ir além desta existência mundana, precisam ter mentes mais focadas, contemplativas e orientadas por objetivos. A verdadeira meditação ocorre quando nos elevamos acima de todas as distrações. Isso é essencial para pacificar a qualidade inquieta da mente.

Muitos anos atrás, quando Gurudev estava na Índia, estava pintando uma estátua da deusa Saraswati, que ele tinha acabado de fazer, quando Swami Chidanandaji, um discípulo de Swami Sivananda, entrou no ashram. Completamente absorto em seu trabalho, Gurudev, amorosamente, decorava a estátua com uma variedade de cores lindas, sem notar a presença de Swami Chidanandaji. O sempre humilde Chidanandaji sentou em um canto da sala observando silenciosamente Gurudev, em seguida, ele foi, calado, para o templo de Swami Shriyukteshwarji para meditar. Mais tarde naquela manhã, depois de sua meditação, Swami Chidananda viu Gurudev sentado em uma sala falando com alguém. Gurudev ficou encantado quando viu Swami Chidanandaji parado lá. “Quando você chegou?”, disse ele, radiante de alegria.

“Eu estive aqui por um bom tempo.”
“Então como eu não vi você, Swamiji?”
Swami Chidanandaji começou a sorrir. “Meu amigo, você estava tão fascinado com a imagem que estava pintando que estava inconsciente de qualquer outra coisa.”

Essa história ilustra bem o exemplo de uma pessoa concentrada em um só ponto, que é um pré-requisito para a verdadeira meditação. É esse o estado de sua mente quando você medita? Acontece, frequentemente, que quando o professor diz aos alunos para fecharem os olhos no início da aula de meditação, existem alguns alunos que têm dificuldade em executar estas orientações simples. Se alguém chega à sala de aula tarde e passa por eles, seus olhos imediatamente abrem para ver quem é. Simplificando: isso não é de sua conta. Uma vez que o professor diz, “Feche os olhos” você deve mantê-los fechados até que ele diga para você abrir. Por que algumas pessoas acham difícil fazer isso? Porque sua mente é inquieta. Por conseguinte, a natureza inquieta da mente frustra nossos esforços para alcançar o êxito em nossos objetivos.

Uma vez, quando Paramahamsa Yogananda participou de uma feira, ele participou de um jogo que envolvia atirar em um alvo. As pessoas ficaram surpresas ao assistirem ele atingir o olho de boi várias vezes. Em outra ocasião, quando ele estava jogando tênis, confiantemente anunciou aos discípulos, “Ninguém pode me derrotar a menos que eu permita.” Tendo dito, ele agarrou a sua raquete e, sem perder um só golpe, jogou por tanto tempo que todos os seus adversários ficaram completamente exaustos; cada um afirmando a derrota. Esta é a realização de quem possui a mente concentrada.

É lamentável que, na era moderna, poucas pessoas saibam o valor e o poder da concentração. Há muitos anos, na Índia, quando Arjuna era um jovem garoto, ele foi treinado na arte da guerra, diplomacia e concentração, porque ele nasceu em uma família real. Um dia o professor disse, “Hoje eu vou passar um teste. Escondi nos ramos de uma árvore, um pássaro de brinquedo que não é claramente visível. Seu teste é atingir o olho esquerdo do pássaro com sua flecha. Porém, vocês estão proibidos de olharem diretamente para o pássaro; em vez disso, vocês vão olhar apenas o seu reflexo no pote de água que está em baixo. ”

Um por um, cada aluno atirou a sua flecha e voltou para o professor com o intuito de relatar o que haviam observado. Muitos disseram que não podiam ver o pássaro, somente os galhos e as folhas da árvore. Um estudante disse que, embora ele tivesse visto o pássaro, não dava para reconhecer todos os detalhes. Finalmente, quando o professor perguntou a Arjuna o que ele teria visto, ele respondeu, “Eu não vi nada, exceto o olho esquerdo do pássaro.” Os outros viram tudo, exceto o que eles deveriam ver, mas Arjuna, com a mente focada no objetivo, não viu nada além do olho esquerdo da ave. Assim, nossas conquistas são diretamente influenciadas pelo estado da nossa mente.

*Prajnananda é atual líder espiritual do Kriya Yoga

Veja o comentário

Deixe uma resposta

Vá para cima