Mindfulness é mesmo Atenção Plena?

Por Denis Karenkin*

Provavelmente a tradução mais comum para o português da palavra Mindfulness é Atenção Plena.

Não há nada de errado com esta tradução, no entanto ela é propensa a interpretações erradas, especialmente por recém chegados à prática. Pode-se concluir que quanto mais atenção você presta, mais “mindful” você se torna. Enquanto os exercícios para desenvolver o Mindfulness incluem algumas práticas para estimular a atenção concentrada (o foco na respiração, por exemplo), a qualidade da atenção não é a mesma que usamos nas atividades do dia-a-dia.

Normalmente, quando algo acontece em nosso ambiente externo (um som, imagem, cheiro) ou ambiente interno (um pensamento, sentimento, sensação ou combinação deles), TODA a nossa atenção é automaticamente atraída por este acontecimento. Isso em si não é um grande problema – pois nosso cérebro é projetado desta forma – mas se continuamos a reagir assim aos centenas de estímulos (distrações) durante o dia, nos sentimos exaustos física e mentalmente. Nossos avós não tinham esse problema; esse fenômeno de “burnout” é a invenção moderna.

Como você pode ver, nós já prestamos muita atenção, mas essa atenção não é voluntária ou consciente, é superficial, momentânea, impulsiva ou, como um dos meus professores a chama, “atenção forçada”. Então, aí vem a piada: Atenção Plena não é apenas prestar atenção, mas é como fazemos isso.

Afinal, como devemos prestar atenção?

Um dos primeiros princípios da prática de Mindfulness que você aprenderá se fizer um curso introdutório é que podemos ESCOLHER conscientemente prestar atenção, bem como qual o OBJETO de nossa atenção. Ele pode ser a respiração, as sensações corporais, os sons – ou até mesmo os pensamentos e sentimentos. E há outra coisa importante: quando prestamos atenção, não precisamos forçá-la – mantemos a atenção leve, aberta, e relaxada. Quando decidimos prestar atenção desta forma nas nossas experiências, treinamos nossa mente para nos tornarmos mais perspicazes e não-reativos. Isso não apenas pode nos ajudar a melhorar nosso foco, mas também economizar muita energia física e mental! Por isso, muitas vezes nos sentimos relaxados e ao mesmo tempo energizados após uma meditação. Praticantes de meditação de longa data relatam que precisam de menos tempo para dormir.

Enfim, o que poderia ser uma tradução melhor para a palavra Mindfulness? Talvez Consciência Plena, porque o foco não está tanto na capacidade de prestar atenção, mas no desenvolvimento de nossa Consciência como um todo, que é o que a prática da Mindfulness realmente é.

Boas práticas!

*Denis Karenkin mora em Vitória, ES e além de dar aulas de Yoga e curso de Meditação Mindfulness, facilita sessões semanais de Banho de Gongo.

https://www.dkarenkinyoga.com/

Deixe uma resposta

Por uma vida mais consciente

Você quer receber as novidades e promoções do Nowmastê no seu e-mail?