Lendo agora
Menos consumismo é igual a mais liberdade e qualidade de vida!

Menos consumismo é igual a mais liberdade e qualidade de vida!

Nowmastê

Por Chirles Oliveira*

consumismoDezesseis de março é dia do consumidor, mas no lugar de ir às compras que tal refletirmos sobre o consumismo que rege boa parte da prática da cultura do consumo? Você compra por necessidade ou desejo? Você se considera um consumidor consciente? O mundo está mudando, e há um movimento chamado de economia para transição pautada na experiência e não na posse. Há também milhares de adeptos do Movimento Simplicidade Voluntária que se inspiram no livro com o mesmo nome, de Duane Elgin.

Neste livro, o autor propõe um estilo de vida mais simples, mais próximo da natureza, com menos consumo e mais consciência pessoal, social e ambiental. Na verdade, este movimento comunga com o propósito da sustentabilidade que prima pelo equilíbrio de três aspectos: social, econômico e ambiental. Duane enfatiza que a adoção de hábitos mais simples está menos no exterior, e mais focada no interior das pessoas, em suas percepções sobre a vida.

Há vários exemplos de pessoas que mudaram seus estilos de vida e conseguiram se sentir muito mais realizadas e felizes ao optaram por ter menos coisas e mais emoções. Menos bens materiais e mais tempo para o relacionamento com a família. Vem daí a máxima de que menos é mais. Mas ela serve para as pessoas que desejam bem-estar e integridade física, mental e emocional mais do que bens materiais.

Sinto que cresce a percepção das pessoas de que uma vida com muito estresse no trânsito, no trabalho, o sedentarismo (pois nunca se tem tempo para a atividade física) e a falta de uma alimentação saudável geram muito mais insatisfação e doenças do que felicidade. Mas mudar não é tão simples assim, e por isso que Duane Elgin afirma que a simplicidade é um ato voluntário e consciente do que realmente importa para cada indivíduo.

Quem opta por uma vida mais simples, não prioriza o consumismo e os bens materiais. Pelo contrário, valoriza o que é essencial como a saúde, a família, os amigos, o trabalho sem escravidão, sua conexão com a espiritualidade, seu lado emocional em equilíbrio com todos esses aspectos. Parece utopia, mas acredito que seja uma questão de foco. É preciso compreender o que é a felicidade para si e dirigir todos os esforços nesta direção.

Quantas pessoas nós conhecemos que mudaram seus padrões de vida por opção e que hoje se sentem mais completas e realizadas? Você conhece alguma boa história? Compartilhe conosco e demonstre como é possível fazer escolhas sábias e saudáveis.

Vou contar muito resumidamente a minha história. Depois que me curei de uma doença gravíssima em 2011, decidi trazer mais equilíbrio ao meu cotidiano. Penso que a saúde é o meu bem mais precioso, junto com o tempo que me permite realizar as coisas que realmente gosto e acredito. Por isso, tive que fazer escolhas para conciliar meu trabalho como docente, meu relacionamento afetivo, minha alimentação e atividades físicas, minha terapia e os encontros com meus amigos.

Percebi que não adianta ter uma conta bancária recheada e ficar doente com frequência, gastando dinheiro com médicos e remédios. Compreendi que fazer um trabalho voluntário alimenta minha potência de alegria interior. Descobri que a Yoga e a meditação são fundamentais para meu equilíbrio emocional e espiritual. Experienciei que é muito melhor viajar e conhecer novas culturas do que ficar apegada ao dinheiro na conta corrente. Aprendi que perdoar e amar meus familiares e as pessoas do meu convívio me trouxe ganhos incríveis, e por fim, que cultivar a amizade é a minha maior riqueza.
Isso não é uma receita. Esse foi o meu caminho e acredito que cada um, no seu tempo, irá descobrir o seu!

Para quem se interessar por essa literatura estão aqui algumas informações:

simplicidade

Título: Simplicidade voluntária – Em busca de um estilo de vida exteriormente simples, mas interiormente rico
Autor: Duane Elgin
Editora: Cultrix
Ano: 2012
Número de páginas: 208
Preço médio: R$ 31,00 (Livraria da Folha) e R$ 27,00 (Buscapé)

Chirles Oliveira*Chirles Oliveira é Jornalista, Mestre em Comunicação e Práticas de Consumo pela ESPM/SP. Sempre em busca de autoconhecimento, pensa que o grande desafio da vida é equilibrar o lado profissional, pessoal e social. Apreciadora de uma vida mais simples, escreve sobre temas apaixonantes como sustentabilidade, felicidade, consumo consciente e práticas para ter uma vida saudável no blog Felicidade Sustentável.

Insta: @felicidade_sustentavel
Veja comentários (2)
  • Oi! Minha história é parecida com a sua! Em 2013, depois de uma crise de pânico + depressão comecei a questionar minha forma de viver. Nunca consumi a ponto de me endividar, mas depositava felicidade em bens materiais. Desde então iniciei uma jornada de autoconhecimento: fiquei um ano sem comprar nada, destralhei muitas coisas, sentimentos, emoções e cada dia mais desejo viver apenas com o necessário e todos os aspectos. Partilho essa experiencia no meu blog: http://www.umavidamaissimples.com e nunca estive tão satisfeita e realizada!

Deixe uma resposta

Vá para cima