Lendo agora
Impossible Foods (Alimentos Impossíveis)

Impossible Foods (Alimentos Impossíveis)

Nowmastê

124

Tem aparência de carne. Tem gosto de carne. Mas é livre de crueldade.

Com cerca de R$ 180.000.000,00 (cento e oitenta milhões de reais) em investimentos de empresas como o Google e do bilionário Bill Gates, o professor de biologia e de física da Universidade Stanford Patrick Brown fundou a Impossible Foods (Alimentos Impossíveis). A empresa tem sede no estado da Califórnia, nos Estados Unidos.

“Nós não podemos esperar que as pessoas consumam nossos produtos simplesmente porque são melhores para o planeta. Temos que efetivamente reinventar todo o sistema de como produzir comida. O resultado precisa ser um produto inacreditavelmente bom que possa competir com um produto que as pessoas amam há milhares de anos.” – disse Brown em entrevista ao Wall Street Jornal.

Mais de 50 profissionais já fazem parte do time da Impossible Foods. Eles estão criando carne e queijo de origem vegetal capazes de fazer pessoas que consomem estes produtos de origem animal trocarem para os produtos veganos, de origem vegetal. “Nós sabemos que as pessoas não vão mudar seus hábitos alimentares até que apareça um produto ainda mais delicioso e satisfatório.” – diz o site da empresa.

De olho no mercado do futuro, onde os produtos necessariamente terão que ser mais sustentáveis, algumas empresas estão investindo pesado em carnes e queijos que não levam nada de origem animal. Mas a Impossible Foods já deu um passo à frente: cada hambúrguer é produzido atualmente por cerca de US$ 20,00 (vinte dólares). Outros hambúrgueres semelhantes, por somar toda a fase de desenvolvimento, custam centenas de milhares de dólares.

Patrick Brown e sua equipe estão tão confiantes e adiantados no negócio de carnes e queijos vegetais que pretendem começar a vender seus produtos nos supermercados até o final de 2015.

Ainda segundo a reportagem do Wall Street Jornal, o novo hambúrguer tem uma textura muito parecida com carne e o gosto é algo entre carne de peru e de boi, algo que agrada muito ao paladar de quem consome carne. “Ele é um pouco mais leve, talvez até mais macio do que um hambúrguer típico e tem menos gosto de sangue. Mas as mordidas ainda têm a consistência de tecido animal. Ele não é muito esponjoso como tofu. Ao invés disso, os grânulos de carne se unem, como seria de esperar em um hambúrguer.” – descreveu a jornalista que experimentou o hambúrguer.

O segredo para o sabor e a textura do hambúrguer de Brown está na ciência. O que faz o hambúrguer vegano da Impossible Foods sangrar é um ingrediente de sua composição chamado hemo. O hemo é um composto químico encontrado no sangue de animais e também nas raízes de algumas plantas que fixam oxigênio. Brown isolou o hemo obtido das raízes e fez um sangue de origem vegetal, que é adicionado ao hambúrguer.

“Hemo é basicamente 99% do segredo do sabor da carne. É a molécula que faz com que a carne tenha gosto de carne. É a razão pela qual carne vermelha, que tem mais hemo, tenha um gosto mais acentuado de carne do que as carnes brancas.” – explicou o professor.

Além de ser mais saudável e 100% natural e vegetal, o hambúrguer da Impossible Foodspode garantir um futuro de menos sofrimento para os animais e mais sustentável para o planeta. Se a invenção de Brown fizer sucesso entre os consumidores, bilhões de animais deixarão de ser mortos todos os anos. Para o meio ambiente será uma ótima notícia também: incontáveis quilômetros de florestas deixarão de ir para o chão para a abertura de pastos e para o cultivo de monuculturas que são transformadas em ração para animais confinados.

O futuro da comida está cada vez mais próximo.

Via vista-se.com.br

Veja comentários

Deixe uma resposta

Vá para cima