Lendo agora
A ilusão da segurança

A ilusão da segurança

Nowmastê

Via *Vya Estelar, por Patricia Gebrim

ilusao

Segurança.

Desejo de tantos de nós. Queremos o emprego seguro, a viagem segura, o relacionamento seguro. Queremos uma conta bancária que nos ajude a sentir que estamos a salvo. Pagamos a companhias para garantir que não seremos lesados, caso sejamos roubados, surpreendidos por uma doença ou atingidos por um raio numa noite de tempestade.

Tanta energia gasta em uma tentativa de controle, absolutamente fadada a fracassar. Uma energia linda e preciosa, que poderia ser utilizada para criamos beleza, para evoluirmos em consciência. Para amar.

A vida tem seus próprios propósitos para cada um de nós e eu lhes afirmo algo em que acredito com absoluta entrega: _ Aquilo que precisarmos vivenciar, será atraído em nossa direção, não importa quanto dinheiro tenhamos no banco, quantas alianças tenhamos no dedo ou quantos abdominais façamos todos os dias ao despertar, na busca do corpo saudável e perfeito.

Da mesma forma, nunca vivenciaremos algo que não esteja pulsando em nosso campo energético. Assim, podemos caminhar pelo vale das sombras e, se nosso coração estiver puro, nada sobre nós se abaterá, como nos inspira esse trechinho da bíblia: “Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam.”

Quem está conosco a nos proteger e consolar?

Não são as empresas de seguro ou os gerentes de nossos bancos. Tampouco o padre que celebrou nosso casamento garantindo que estaríamos assim unidos “até que a morte nos separe”. Quem nos protege e consola é a nossa própria consciência, elevada em direção à luz. É o amor que habita cada célula de nosso corpo e que, como um rio, flui sempre na direção da vida e da harmonia.

Pouparíamos a nós mesmos muito esforço e desperdício de energia se parássemos de tentar controlar a vida em busca dessa ilusão chamada segurança. Uma miragem no deserto. Se compreendêssemos que a única segurança possível é aquela que obtemos quando mergulhamos sem medo em nosso íntimo e nos colocamos docemente nos braços da vida. Quando confiamos na vida e em nosso próprio Eu Superior. Quando sentimos essa fagulha divina que pulsa em cada célula de nosso corpo. Quando confiamos que o amor que nos habita irá guiar nossos passos em meio às tormentas, caso as mesmas se abatam sobre nós.

Quer segurança? Pare de lutar. Solte-se. Confie na vida e deixe que sua alma o conduza de volta ao seu lugar: À luz e ao amor que é quem você verdadeiramente é!

www2.uol.com.br

Veja comentários

Deixe uma resposta

Vá para cima