Lendo agora
Espaço Além – afinal, o que cura?

Espaço Além – afinal, o que cura?

Nowmastê

Por Manuela Ferreira de Sousa*

Marina Abramovic

Marina Abramovic, nascida em Belgrado (ex-Iugoslavia – atual Sérvia), tem sido pioneira no uso da performance como forma de arte visual, e o corpo é o seu tema e meio.

Seu próprio corpo é o suporte para realizar intervenções, explorando limites físicos e mentais, suportando a dor, a exaustão e o perigo na busca da transformação emocional e espiritual.

No documentário “Espaço Além”, ela viaja pelo Brasil em busca de cura pessoal e inspiração artística, experimentando rituais sagrados. Ela considera-se “nômade” e livre por não ter relações familiares próximas, e declarou que estava em busca da cura, mas “não do corpo, do espírito”.

A artista disse que suporta todo tipo de dor corporal e que seu grande desafio é superar sua dor psíquica, oriunda essencialmente de duas separações afetivas, a última por um abandono no qual foi “trocada por outra”.

Além da pesquisa para seu trabalho, suas dores pessoais são o motor que a faz ir ao encontro de médiuns, rezadeiras, curandeiros e centros espirituais que ela denomina “locais de poder”, muito presentes aqui no Brasil, onde atribui a existência de “um certo tipo de energia”.

À propósito, a fotografia e a trilha sonora do filme/documentário são belíssimos.

Seu caminho incluiu as curas do médium João de Deus em Abadiânia e locais sagrados na Chapada dos Veadeiros, os rituais do Vale do Amanhecer em Brasília, a tradição dos raízeiros e benzedeiras de Goiás, a força do sincretismo religioso em Salvador e as cerimônias de ayahuasca e sauna sagrada na Chapada Diamantina, os processos xamânicos em Curitiba e a força dos cristais de Minas Gerais.

As experiências disparam uma outra viagem, interna e pessoal da artista, permeada por lembranças, dores e aprendizados. Declarou também que “quanto mais forte a performance, mais forte é a transformação”, e faz um paralelo entre a performance e os rituais, pelo fato de ambos possibilitarem uma jornada interior e guardarem um caráter transcendente.

Também são abordados no filme a distinção entre espiritualidade e religião, o poder de cura dos cristais, de substâncias como o ayahuasca e as ervas medicinais, e terapias que visam sanar os traumas que ficam marcados no corpo.

Abramovic propõe a arte como “salvação” para as pessoas quem moram nas grandes cidades, como forma de aproximação da natureza e “ponte” para a espiritualidade.

O documentário faz pensar sobre o papel da espiritualidade e da conexão mente/corpo nos processos de cura. Afinal, o que leva à cura?

Talvez uma reunião de fatores, como medicamentos/cirurgias, uma disposição psíquica favorável e a fé , ou seja, um processo unificado que envolve corpo, mente e espírito.

Algumas pesquisas chegaram à conclusão que a crença espiritual pode ajudar as pessoas a lidarem com as consequências negativas da doença. Outras comprovam a eficácia de cuidados integrativos como a meditação, a oração, o Reike e a acupuntura na melhora da resposta imunológica e na remissao de sintomas.

Espaço Além” traz uma abordagem integral do ser ao unir a performance aos rituais de cura. Os rituais podem servir como ferramentas que estimulam as forças autocurativas, possibilitando o acesso e a integração de imagens. Afinal, a única possibilidade de cura vem da transformação do doente quando consegue acessar significados que vão além do tangível, e alcançar um novo estado de consciência.

Manuela Ferreira de Souza

*Manuela é psicoterapeuta, com grande experiência em atendimento clínico, e atende nos Jardins, SP. É Mestre e Doutora em Psicologia Clinica pela PUC-SP, no núcleo de Psicossomática. Foi profa da Universidade Paulista – UNIP por 20 anos, e do curso A Imagem Corporal na Contemporaneidade do Cogeae da PUC-SP. Atualmente amplia sua visão na Antroposofia, tendo concluído o curso para profissionais da área da Saúde na ABMA em 2014.

Veja comentários

Deixe uma resposta

Vá para cima