Lendo agora
Sobre aprender a pescar e a diferença entre coaching, terapia, consultoria e mentoria

Sobre aprender a pescar e a diferença entre coaching, terapia, consultoria e mentoria

Avatar

Por Gabi Picciotto*

sobre_aprender_a_pescar_coaching (2)

Há cerca de duas semanas, eu recebi uma pergunta que me chamou muito a atenção: “Como você descreveria para uma criança de 5 anos de idade o que você faz?”. Engraçado como às vezes complicamos coisas que podem ser ditas de maneira tão simples, não é?

No momento eu atuo como coach integral e consultora e muitas pessoas têm me perguntado a diferença entre coaching, consultoria, terapia e mentoria.

Eu fiquei pensando em como explicar essa diferença de maneira bem simples, quase que entendível para uma criança de 5 anos de idade.

No coach integral, utilizamos metáforas como forma de tangibilizar e tornar mais consciente o processo de mudança pelo qual o coachee passa. Eu sempre adorei essa coisa de criar metáforas, além de ter uma beleza incrível, muita simbologia e sensibilidade, ajuda a tornar aspectos complexos em algo muito simples.

Por que não explicar a diferença de coaching, consultoria, terapia e mentoria de uma maneira mais metafórica?

Vamos supor que você brincava de pescar quando era pequeno, mas agora como adulto está tendo muita dificuldade de conseguir pescar. Você quer muito ser capaz de pescar e percebe que sozinho vai demorar para conseguir, então resolve contratar um profissional para te ajudar no seu objetivo. Mas se pergunta: qual a diferença entre escolher um mentor, consultor, um terapeuta, ou um coach?

Mentor: o mentor é alguém que já está pescando há um tempo e está disponível para compartilhar com você o que ele sabe e aprendeu ao longo de sua jornada. Ele pode até te levar para ver ele pescando e você poderá “aprender vendo”. Muito provavelmente ele passou pelo mesmo problema que você.

Consultor: o consultor é um “expert” em pescar. Ele entende muito sobre o processo de pescar e descobriu a maneira mais efetiva de fazer isso. Ele provavelmente vai entender com você o que você tem feito até agora e te dar um plano pronto e muito detalhado de como fazer isso corretamente, passo a passo. Ele é pago para te ajudar a responder a questão “como fazer para pescar”.  Ele foca no problema e em te passar uma solução.

Terapeuta: o terapeuta, no geral, estará interessando em entender por que você é incapaz de pescar. Ele quer descobrir o que no seu passado, ou na sua infância te fez criar barreiras que te impedissem aprender a pescar. Uma vez compreendido isto, ele trabalhar com você para tratar da questão. Ele foca no “por que” do problema existir.

Coach: o coach tem uma relação de co-construção com o coachee. Ele faz um monte de perguntas e responde pouco, é você quem chega nas respostas. Ele te ajuda a alcançar seu objetivo de ser capaz de pescar te fazendo questões provocadoras e iluminando suas fortalezas. Ele trabalha com você levando em consideração o que você já sabe e te ajudando a quebrar suas crenças limitadoras que te impedem de seguir adiante. É como se ele estivesse segurando junto com você sua vara enquanto você aprende, torcendo por você em cada e todo degrau do seu processo.  Então, quando você estiver pronto para pescar sozinho, ele soltará a vara. O coach foca em você.

Apesar de serem funções distintas, é comum um profissional ter desenvolvido e atuar em mais de uma função.

Eu, por exemplo, ao longo de minha carreira tive a oportunidade de trabalhar em grandes consultorias, em paralelo, fiz meu Master de 2 anos em coaching integral e comecei atender ainda trabalhando em consultoria. Hoje, presto pela minha própria empresa os dois tipos de serviços de acordo com a necessidade do cliente. E muitas vezes, atuo como mentora para pessoas que também desejam ser coachs e querem saber mais do meu caminho.

Tenho muitos colegas que são psicólogos e que também se formaram como coachs.

Um ponto muito importante é que o coach não trata patologias, ou seja, se uma pessoa apresenta um distúrbio mental (depressão, distúrbio bipolar, esquizofrenia), ela deve ser tratada com terapia. Até pode em paralelo, querer fazer um processo de coaching para determinado objetivo, mas precisa sim estar sendo acompanhada por um terapeuta.

Espero que este texto tenha ajudado a deixar as distinções mais claras ;).

Se ficou alguma dúvida ou quiser dizer algo sobre o texto, só deixar um comentário ai embaixo!

Gabi Picciotto lançou o mini-curso gratuito Integral Way, que vai te ajudar a entender como a Teoria Integral de Ken Wilber pode te ajudar nas suas transformações. Veja aqui.

Gabi-Picciotto-2

Apaixonada por pessoas, eclética e idealista por natureza,  Gabi sempre acreditou que qualquer um podia tirar seus sonhos do escuro, bastava que escolhesse esse caminho. Resolveu tornar seu sonho uma realidade e fundou o The Sun Jar (www.thesunjar.com), um movimento focado em motivar e inspirar pessoas a tirarem seus sonhos do escuro. Atua como coach integral, escritora, palestrante e consultora.

contato: [email protected]

Créditos da foto: https://www.flickr.com/photos/tomraven/

Veja comentários (2)

Deixe uma resposta

Vá para cima