Lendo agora
Como você cuida de si mesmo?

Como você cuida de si mesmo?

Avatar

Por Gustavo Tanaka*

Esses dias estive pensando em quanta incoerência tem na minha vida. Como costumo me colocar em último lugar na minha lista de prioridades.

No meu carro, eu não coloco gasolina adulterada, nem paro em posto de gasolina de procedência duvidosa.

Mas no meu corpo eu ainda coloco alimentos industrializados, com agrotóxicos, químicos e ingredientes que eu nem sei o que são.

Eu cuido melhor do meu carro que do meu principal veículo, que é meu corpo.

Quando alguém vem me visitar em casa, eu limpo toda a casa, deixo tudo organizado, faço compras e abasteço minha casa com muita coisa boa. Quando eu estou sozinho, deixo a geladeira esvaziar e permito fica um pouco bagunçada.

Quando recebo alguém de fora de São Paulo em casa, eu quero fazer passeios, penso na programação e agenda cultural e lugares legais pra visitar. Quando estou sozinho, fico só em casa mesmo.

Quando trabalho de casa, sou capaz de passar o dia com roupas largadas e até mesmo de pijama. Mas quando vou fazer um call ou receber alguém em casa, eu coloco roupas novas.

Lembrei de uma empresa que tive e que só comecei a cuidar melhor das finanças quando contratei um consultor. Enquanto era eu somente organizando pra mim, a informação não era clara. Mas quando tive que apresentar pra alguém, eu precisava ser mais organizado.

Eu fico sem fazer exercícios quando não tenho ninguém me cobrando. Mas quando assumo o compromisso de me exercitar, fazer yoga ou Tai Chi Chuan com alguém, eu não falho.

Eu dou conselhos pros amigos, apoio pessoas, falo palavras de amor, falo para elas pegarem leve com elas mesmas e não se sentirem culpadas. E comigo eu me cobro como o pior chefe do planeta. As críticas que faço a mim mesmo, eu não faria aos meus piores inimigos.

E então comecei a pensar: Por que é que eu mesmo não cuido de mim quando estou sozinho?

Por que é que não me trato como a pessoa mais importante do mundo quando estou somente eu comigo mesmo?

E aí eu tenho mudado alguns hábitos.

Esses dias me perguntei. Se eu estivesse para receber a Rainha da Suécia na minha casa, o que eu faria de diferente?

Eu provavelmente não ficaria com roupas velhas em casa, deixaria a limpeza impecável, abasteceria minha despensa com comida boa e coisas que eu não compro para mim. Compraria flores, consertaria absolutamente tudo que está quebrado ou sem funcionar direito.

E quando pensei nisso, eu lembrei que aqui nesse plano, eu acho que estou sozinho, mas tenho uma galera do plano espiritual convivendo comigo, me apoiando, mentorando e guiando meus passos.

Eles enxergam onde vivo, como vivo e o que faço.

Eu apenas acho que estou sozinho.

Então, o que preciso fazer é desenvolver hábitos de me cuidar como cuido dos outros.

Cuide de você em primeiro lugar. Trate a si mesmo como a pessoa mais importante do planeta. Cuide da sua casa, das suas roupas, do seu corpo, das suas emoções e de tudo que envolve você.

Tudo começa aí.

É quando você se trata bem que o universo entende que também deve te tratar bem. É quando você se permite receber que você abre seu fluxo. É quando você pega leve com você que a vida também pega. É quando você se ama que o amor acontece.

É quando você gosta de quem você é que felicidade acontece…

*Gustavo Tanaka é escritor e empreendedor. Escreve suas reflexões e aprendizados sobre a vida e temas que vão da espiritualidade ao empreendedorismo.

Seus livros 11 Dias de Despertar e Depois do Despertar têm ajudado milhares de pessoas a se conectarem a uma nova espiritualidade e apresentam uma visão cheia de esperança de um futuro da nossa sociedade.

Seu mais impactante artigo “Há algo de grandioso acontecendo no mundo” foi lido mais de 2 milhões de vezes e entrou para a lista dos 10 artigos mais lidos do mundo em 2015, sendo traduzido para 9 idiomas. Em 2016 entrou para a lista dos brasileiros mais influentes no Linkedin no prêmio Top Voices.

Suas palestras, vivências e retiros têm tocado o coração de milhares de pessoas que buscam uma nova forma de viver. Gustavo apresenta um olhar mais humano sobre as relações, sobre colaboração, sobre inovação, educação e sobre poder ser quem se é de verdade.

Veja comentários

Deixe uma resposta

Vá para cima