Lendo agora
Como transformei a falta de foco em um negócio digital

Como transformei a falta de foco em um negócio digital

Alana Trauczynski

Por Alana Trauczynski *

motivacao

“Você precisa focar” foi uma das frases que eu mais escutei na vida! E sempre me senti extremamente culpada e frustrada por simplesmente NÃO SER CAPAZ de fazer o que me pediam! Eu tinha mil interesses que não necessariamente tinham a ver um com o outro, começava mil coisas e não necessariamente terminava nada,me apaixonava por trocentas outras que rapidamente me desinteressavam, super me empolgava com um emprego novo e, poucos meses depois, já sabia que não ficaria ali muito tempo. Também não conseguia nem ficar parada no mesmo lugar, me mudava de uma cidade para outra, de um país para outro, e se pudesse mudar de planeta eu provavelmente já teria tentado. Uma coisa chamada ROTINA era simplesmente fatal para mim. Cada dia assim era um dia a menos e não a mais na minha vida.

A parte boa disso tudo é que acabei tendo uma variedade ENORME de experiências, criando conexões com uma alta variedade de pessoas, conhecendo uma quantidade enorme de lugares e culturas e, ainda mais do que isso… aumentando EM MUITO o meu espectro de visão.

Mas como eu já sou frequentemente chamada de viajona, quero ir por um viés científico aqui. Segundo o Dr. Cláudio Guimarães dos Santos, médico e neurocientista da Universidade Federal de São Paulo, os neurônios são células características do sistema nervoso central que possuem a capacidade de estabelecer conexões entre si quando recebem estímulos advindos do ambiente externo. Essas conexões são responsáveis por tudo o que somos. Por nossa personalidade, modo de agir, pela forma que nosso corpo vai adquirindo no transcorrer da vida.

Em linhas gerais, o processo é o seguinte. Uma vez estimulados, os neurônios geram impulsos de natureza elétrica e liberam íons e substâncias químicas que lançadas nas sinapses (espaços vazios entre um neurônio e outro) estabelecem ligações entre eles. A cada novo estímulo, a rede de neurônios se recompõe e reorganiza, o que possibilita uma diversidade enorme de respostas.

Isso quer dizer que quanto mais estímulos externos temos, maior nossa capacidade de responder, de criar conexões, e maior nossa capacidade de enxergar infinitas possibilidades.

O que me leva a concluir de que eu não tinha que focar. Eu tinha era que ter o maior número de experiências possível, para aí sim me enveredar pelos caminhos com os quais eu mais me identificava. Eu tive que assumir plenamente toda a minha multipotencialidade! (Sim, isso tem nome!) Foi aí que a mágica aconteceu.

Acabei transformando a aparente “falta de foco” no meu maior diferencial. E já que o meu emprego dos sonhos nunca existiu, então eu tive que inventá­lo! Vocês já viram um negócio digital onde você pode comprar livros, pedir uma conexão com alguém em algum lugar do mundo, requisitar textos inspirados para sites, roteiros de apresentações, contratar a pessoa pra dançar na balada, consultoria por skype, palestras e workshops, além do serviço de resignificar a filosofia da sua empresa, dando aos funcionários um sentido de propósito?

Aposto que não. Então surfe no meu site. É, minha gente, para viver de ser escritora no Brasil eu tive que aprender a ralar em várias outras áreas! O melhor é que eu amo todas elas e não tenho que optar por nenhuma! E nunca mais NA VIDA quero escutar um ignorante dizer que eu preciso focar, porque foi a falta de foco que me deu toda a bagagem que eu precisava para perfomar com excelência TODAS ESTAS ATIVIDADES.

A gente só não consegue visualizar um mundo melhor porque não há gente suficiente criando novas formas, pensando em outras alternativas do que uma vida com roteiro.

A repetitividade e monotonia são intimamente ligados. Quando estamos presos em padrões repetitivos, perdemos nossa inteligência porque não formamos novas sinapses, novas conexões cerebrais.

E se houvesse infinitas possibilidades em cada momento?

Você não teria ideia do que faria ou para onde caminharia? Não MESMO? Então se jogue no fluxo e experimente coisas novas, faça novas rotas, alimente­-se de coisas que te inspiram. Assim estará criando novas conexões sinápticas e dando oportunidade ao novo mundo das infinitas possibilidades, onde todos os seus sonhos se realizam, SIM!

alana

*Alana Trauczynski é nômade digital, autora do livro “Recalculando a rota: uma louca jornada em busca de propósito” e criadora do Programa Recalculando a Rota, um curso online de autoconhecimento e mudança de mindset para pessoas que querem recalcular a rota de suas vidas para um futuro mais brilhante e fluido. Para conhecer melhor seu conteúdo, curta sua página no facebook.*Alana Trauczynski é autora do livro “Recalculando a rota: uma louca jornada em busca de propósito”

Vá para cima