Lendo agora
Claudio Edinger revisita um gênio político

Claudio Edinger revisita um gênio político

Nowmastê

10849942_10154016935883306_2161436707453713884_n

Nada mais apropriado para os tempos bicudos atuais que revisitar um gênio político, séculos à frente de sua época:

“A força gerada pela não violência é infinitamente maior do que a força de todas as armas inventadas pela engenhosidade do homem. Primeiro eles te ignoram, depois riem de você, depois brigam, e então você vence.”

Mahatma Gandhi (1869-1948) – foi o idealizador e fundador do moderno Estado indiano e o maior defensor do Satyagraha (princípio da não-agressão, forma não-violenta de protesto) como um meio de revolução. Inspirou grandes líderes políticos como Martin Luther King Jr. e Nelson Mandela.

“A não-violência e a covardia não combinam. Posso imaginar um homem armado até os dentes que no fundo é um covarde. A posse de armas insinua um elemento de medo, se não mesmo de covardia. Mas a verdadeira não-violência é uma impossibilidade, sem a posse de um destemor inflexível.

Disse também, muito sabiamente:

“Quem sabe concentrar-se numa coisa e insistir nela como único objetivo, obtém, ao fim e ao cabo, a capacidade de fazer qualquer coisa.

“O fraco jamais perdoa: o perdão é uma das características do forte.

“As doenças são os resultados não só dos nossos atos, mas também dos nossos pensamentos.

“Aquele que não é capaz de se governar a si mesmo não será capaz de governar os outros.”

“Deus responde à prece à sua própria maneira, não à nossa.””

“Assim como uma gota de veneno compromete um balde inteiro, também a mentira, por menor que seja, estraga toda a nossa vida.”

“Qualquer coisa que você faça será insignificante, mas é muito importante que você o faça. Pois ninguém o fará por você.”

 Claudio Edinger

*Formado em Economia, Claudio Edinger é autor de 14 livros fotográficos e um romance. Começou a dar aulas de fotografia em 1979 na Parson’s School of Design e mais tarde no International Center of Photography (ICP), ambos em Nova York.

Recebeu o Prêmio Leica duas vezes, o Prêmio Hasselblad, o Prêmio Higashikawa, o Prêmio Ernst Haas, Prêmio JP Morgan, Prêmio Pictures of The Year, Prêmio Abril, Prêmio Marc Ferrez e, por duas vezes, recebeu o Prêmio Porto Seguro no Brasil.

Suas fotos estão nas coleções do MASP, MIS, MAM, MAC, Pinacoteca, Museu Metropolitano de Curitiba, Metronòn (Barcelona), Higashikawa (Japão), AT&T Photo Collection, Equity International Photo Collection, Brazil Golden Art Fund, Itaú Cultural, Centro Cultural Banco do Brasil e nas maiores coleções particulares de fotografia do Brasil. É professor de História da Fotografia Contemporânea na Casa do Saber.

Vá para cima