Chega de relevar as coisas ruins em relacionamentos que não vão pra frente

Por Por Alana Trauczynski*

                                                                               Photo via Visual hunt

Eu estava conversando hoje com a minha prima… e ela tava me contando que o cara que ela está ficando tinha feito umas coisas um pouco chatas que ela não tinha gostado muito, mas que ela tinha se feito de louca e relevado para não perder o possível relacionamento. Foi aí que eu inventei essa expressão, que depois achei muito pertinente mesmo: prostituição energética. Isso acontece a cada vez que a gente deixa uma parte do nosso ser morrer ignorando algo ruim que uma pessoa nos fez ou causou para não ter que ter arcar com as consequências. Neste caso, conversar verdadeiramente com o cara sobre as coisas que a chatearam e, se for o caso, dar um basta neste lenga-lenga.

A cada vez que a gente acredita que não merecemos ser imensamente amados estamos nos prostituindo energeticamente. A cada vez que a gente aceita menos do que merecemos, do que todo ser humano merece, estamos negando nossa grandeza. A cada vez que a gente diz “ok” para algo que nos magoou sem um posicionamento bem definido estamos, de alguma forma, compactuando com a falta de consideração.

Isso acontece comigo também, mas cada vez menos. A partir do momento que a gente entra em contato com a fonte maior do nosso poder, que vem de dentro, menos e menos a gente se sujeita a situações como esta. A gente definitivamente precisa aprender a ser emocionalmente íntegros e não deixar com que as pessoas se sintam confortáveis em fazer coisas do gênero, porque isso é um desrespeito com a nossa própria grandeza, com nossa luz interna, com o ser divino que habita em cada um de nós. Se nem nós mesmos acreditamos que merecemos ser muito amados e respeitados, por que alguém acreditaria? É preciso começar por si. Acredite em mim, a partir do momento que uma pessoa se posiciona como não aceitadora de certas atitudes, ela passa a ser muito mais valorizada. Ela passa a ser muito mais considerada e respeitada. Mas o mais importante de tudo nem é isso…

O mais importante de tudo é saber que só agindo assim teremos a chance e a oportunidade de viver algo REAL. Porque ilusão ou auto-ilusão NÃO É REAL. Então por que você quer continuar assim de toda forma? Só porque está negando a si mesmo. Está negando a certeza de que você, como SER, como HUMANO, tem todo o direito do mundo de ser altamente considerado, amado e respeitado. Portanto, você está sendo facilitador desta situação.

Oportunamente, acabei de ver esta citação na página da Aline Xavier no facebook:

“Quando alguém revela que você significa muito pouco e você continua com essa pessoa, sem se dar conta, começa a significar menos para si mesma. Você não é feita de compartimentos! Você é uma pessoa inteira! O que é dito para você é dito para você como um todo, e o mesmo vale para o que é feito. Ser tratada como merda não é um jogo divertido ou uma experiência intelectual transgressora. É algo que você aceita, tolera e aprende a acreditar que merece”. – Lena Dunham

Se isso está acontecendo com você, considere refletir.

Você merece ser muito amado(a)! Só será quando começar por si mesmo(a).

*Alana Trauczynski é nômade digital, autora do livro “Recalculando a rota: uma louca jornada em busca de propósito” e criadora do Programa Recalculando a Rota, um curso online de autoconhecimento e mudança de mindset para pessoas que querem recalcular a rota de suas vidas para um futuro mais brilhante e fluido. Para conhecer melhor seu conteúdo, curta sua página no facebook.

Deixe uma resposta

Por uma vida mais consciente

Você quer receber as novidades e promoções do Nowmastê no seu e-mail?