Lendo agora
Butão. Um turismo diferente

Butão. Um turismo diferente

Nowmastê

Ignorada pelos roteiros turísticos tradicionais, Paro é a porta de entrada para o Butão, pequeno reino do Himalaia, localizado entre os gigantes China e Índia, na Ásia. Embora não seja a capital – a sede administrativa é Thimphu -, Paro é a única cidade do país que tem aeroporto. É aqui que começa a viagem para uma experiência inesquecível.

Butão

Turismo Cultural 

Para proteger seu patrimônio cultural e ecológico, o governo do Butão faz campanhas nas escolas rurais, treina guias turísticos e controla o turismo com atenção. Oficialmente, o país abriu as portas aos estrangeiros em 1974, depois de séculos de isolamento e de muitas discussões sobre impacto sociocultural promovidas pelo rei e seus oficiais.
Turistas estrangeiros só entram no país depois de pagar uma taxa diária que varia de US$ 200 (julho e agosto) a US$ 250 (demais meses). A taxa contempla serviços de guia, hospedagem em hotel categoria turística, alimentação (pensão completa) e transporte dentro do país. A idéia não é frear o número de visitantes, mas desenvolver um turismo qualitativo e evitar que o número de estrangeiros seja maior do que o país pode abrigar em seus cerca de 1.900 quartos de hotel.
Butão
A melhor época para visitar o país é de outubro a maio, por causa dos festivais de máscaras e dança (outubro) e das comemorações pelo Dia Nacional (17 de dezembro). Quem tem o propósito de fazer “trekking” pelo Himalaia deve evitar os meses de novembro a fevereiro, quando muitas trilhas são bloqueadas pela neve. O importante é abrir a cabeça e o coração para entender e aprender novos paradigmas de um país que foi considerado o número um em qualidade de vida.

 

 

 

 

Vá para cima