BodyTalk & chakras para me re-conhecer no todo

Avatar

Por Nirvana Marinho*

jumbi.tumblr.com

Essa série “BodyTalk &” foi idealizada para abrir possibilidades de conhecimento e diálogo do BodyTalk – abordagem terapêutica de saúde – com um público simpatizante, seja pelas inúmeras técnicas que são abordadas nas sessões de BodyTalk, seja pelos possíveis profissionais terapeutas atuantes que, ao utilizarem tais técnicas originais, podem dialogar também e reconhecer no BodyTalk convergências.

Serão 6 textos: BodyTalk: (1) Corpo em movimento, (2) Os meridianos da Medicina Tradicional Chinesa, (3) Chakras, (4) Planetas em constelação, (5) Química do corpo e nosso microbioma e (6) Os cinco elementos na prática de escuta do corpo. E, ao fim destes textos, ainda proponho mais outros três ensaios cuja abordagem da Consciência é empreendida, uma vez que é a base filosófica e energética fundamental do BodyTalk.

Este terceiro texto traz um tema muito conhecido no nosso imaginário, os Chakras. Vórtices de energia com determinado ritmo, sentido, cor e com seus também múltiplos significados – vejam como os nossos sábios antigos tinham esse poético hábito de correlacionar meridiano com órgão, elemento com emoção (veremos adiante), chakra com cor, e uns com outros. Uma teia de saberes. Por que será?

Falar poeticamente da nossa ação prática é uma forma de saber sobre saúde da qual não estamos habituados – sintam-se exceção os praticantes de yoga, de meditação, de medicinas tais como homeopatia ou antroposofia. Medicina com poesia parece advir de um paradigma distinto de saúde: não olhamos para a parte como prejuízo, mas para o todo como oportunidade de aprender, experienciar, reconhecer-nos mais nas experiências tais como acontecem. Não há algo errado para ser consertado, há uma oportunidade de sentir, olhar, vivenciar. Um exercício de aceitação?…

Vamos a poesia. Não é nossa especialidade, mas será que podemos dizer que poesias são, na verdade, metáforas, oportunidades das palavras expandirem seus significados? Poesias como questões abertas, como chance de vermos novos sentidos, de sentir outro perfume, outro cenário, como se nossos amores renovam seus guarda-roupas a cada dia. Uma espécie de sedução aos sentidos. Faz sentido para você?

Metáforas como um movimento de deslocar sentido, o seu sentido como aqueles do corpo – tato, olfato, paladar, audição, tato; sentidos como nova possível orientação do que se quer dizer, não restrito. Uma nova rima, um novo significado a uma palavra, uma nova combinação de sentir. Metáforas como a curiosidade de saber mais um pouquinho, de outro jeito. Como permanecer no que parece igual mas esperar um novo aspecto deste, uma nova percepção. Isso seria um pouco de meditação, não? Metáforas como um campo aberto de sentido.

Por que estamos falando de metáforas e poesia para falar de chakras? Porque estamos habituados a vê-los com representações das quais capturamos uma parte delas, quando, na verdade, poderíamos ampliar este olhar, ampliar o campo aberto de sentido.

Vamos a cada um deles: seus nomes sânscritos, usualmente conhecidos, cor característica, afirmações particulares, aspecto principal e outros relacionados, assim como seu elemento conhecido. Ou seja, temos aqui uma rápida lista dos poemas possíveis para cada chakra:

Muladhara chakra da raiz – vermelho – Eu sou; Eu sou confiante, cheio de energia – instituto – verdade, auto proteção – coluna vertebral (coccix); vida material – terra

Svadhishthana – chakra sacral ou esplênico – laranja – Eu sinto; eu sou fonte de ideias, eu tenho meu destino – emoção – criatividade, auto respeito – sistema reprodutor, kundalini – água

Manipura – plexo solar – amarelo – Eu faço; eu posso mover montanhas; eu sou organizado – energia – auto-estima, empoderamento, força de vontade – mente, determinação, sol – fogo

Anahata – chakra cardíaco – verde (rosa, dourado) – Eu amo; eu sou amado, eu dou amor – amor – criatividade, encontro, paz – ar

Vishuddha – chakra laríngeo – azul – Eu falo; eu expresso eu mesmo – verdade – projteção, comunicação – respiração, equilíbrio – éter

Ajna – terceiro olho, frontal – lilás – Eu vejo; Eu sou calmo, eu tenho sucesso para lidar com as situações – intuição – clarividência, auto reflexão, atenção plena – compreensão, insights – éter

Sahasrara – chakra coronário – roxo – Eu sei; eu estou em paz – conexão – centro psíquico, conexão divina, bem estar espiritual e material –

Observem qual natureza e quais tendências cada chakra anuncia, qual movimento ele sugere, qual tipo de energia ele move e… façam poesia! Assim, sem pré determinismo, os chakras são um convite de experiência, de sensação, de percepção do mundo e de nós mesmos, integrados.

Os chakras no sistema BodyTalk são uma das técnicas possíveis para lidar com estas qualidades de energia e nos convidam a ver saúde como metáfora das nossas experiências. Saúde não é somente se sentir bem, mas preparado para lidar com estas qualidades do conviver.

Ao ampliar olhar sobre os chakras, somos sugeridos a experimentar uma sensação de aceitação – sobre o que temos conosco para lidar, sobre as situações que se apresentam como oportunidade para lidar e, finalmente, como versos e estrofes de uma poesia de inúmeras combinações possíveis. Temos, conosco, vórtices para versar sobre a qualidade de conviver.

Referências
vidacosmica.com.br
Vídeo explicativo sugerido: https://youtu.be/JUb0O2qsKGM
*diversas imagens no Instagram trazem diversas palavras chaves para cada chakra

Conheça o BodyTalk escolhendo seu terapeuta pelo link oficial da IBA – Associação Internacional de BodyTalk. www.bodytalksystem.com

*Nirvana Marinho (CBP, Certified BodyTalk Practitioner (CBP), Terapeuta certificada IBA International BodyTalk Association)

Para falar comigo envie um whatsapp para (11) 97672-8460 ou
e-mail: [email protected]
https://www.facebook.com/nirvana.bodytalk/

Vá para cima