Asanas para o bem – guia de posturas de Yoga – Halasana

“Lembre-se que não pode existir saúde sem doença nem doença sem saúde. Reconhecer esse par de opostos dançando como uma oscilação da sua energia vital já é um caminho. A prática regular dos yogasanas (posturas) pode te ajudar nessa compreensão, que deve se dar não pela sua racionalidade, mas pelo seu próprio corpo.” Sandro Bosco

O guia Asanas para o bem é uma colaboração do professor Sandro Bosco para o Nowmastê. Ele está sendo formado com muito carinho asana por asana e é um verdadeiro presente para todos nós que estamos nesse caminho do Yoga e queremos que a nossa prática seja cada vez mais profunda e delicada. Esperamos que você curta. ;-)

Halasana

–  “Os homens abrem o ventre da terra e da mulher também”.

J. Bachofen, jurista suíço que escreveu os direitos da mãe no século IX.

Talvez ele tenha se baseado na imagem do arado e do plantio. Uma comparação à fertilidade na produção de comida e na germinação quando, ao quebrar o hímen feminino, o útero é fertilizado para a continuidade da nossa espécie.

Arar a terra, assim como o ato sexual, é um ato violento no sentido de ser algo forte.

A colheita e o nascer do bebê são igualmente fortes fisicamente. Parece sim que, a fricção de opostos, tem a ver com a base da continuidade da vida.

E por isso esse asana se chama arado?

Além da forma muito próxima a de um arado que o corpo fica no asana, ele também é forte e sua execução, mesmo para os praticantes treinados, exige esforço e cuidados.

No começo dos anos 80, viajando pelo interior da Índia, pude ver, ainda com frequência, o uso comum do arado nos campos na sua versão mais antiga, puxado por cavalos e, na maioria das vezes, tocado pelos braços humanos. Logo entendi melhor o nome bem antigo desse asana.

E nós, encontraremos nele a mesma relação dos resultados que vem da oposição de forças?

Ou será que pode haver algum outro sentido, alguma outra relação do nome, que não seja a direta do corpo no asana com a forma de um arado? Haverá também uma relação desse nome com o que esse asana provoca?

Como em todo asana invertido, entramos em uma zona de desconforto forte, uma vez que estamos com o coração acima da cabeça e os sentidos da audição e da visão usados todo o tempo para nossa referência espacial no mundo estão, como todo o corpo, numa situação invertida de percepções e localização diferentes.

Mais uma vez, o que vai nos dar estabilidade na permanência, é a posição firme das pernas bem esticadas, porque também vão proporcionar leveza no pescoço e na cabeça e algum espaço maior para se respirar melhor, dada a dificuldade inicial dessa postura na posição do diafragma.

Para nos permitir colher mais tarde um estado de tranquilidade e relaxamento físico sem torpor e sem preguiça é preciso esforço  correto na direção do alinhamento como: girar as coxas de fora para dentro, apoiar os ombros um pouco mais altos para não arriscar um entorse no pescoço e facilitar a circulação interna, ajudando com a posição dos braços uma abertura da coluna dorsal, e com o alongamento dos membros superiores abrir o peito protegendo a coluna cervical.

Halasana fortalece nosso sistema nervoso e isso quer dizer que ficamos mais resistentes aos sintomas nocivos do estresse. Além disso, nos beneficia com um fluxo intenso de sangue na coluna devido à flexão para a frente e melhora-se a rigidez nos ombros, cotovelos e artrites nas costas. Ele é excelente para o grande mal do século, a pressão alta, que provoca tantas sequelas à saúde.

E nesse caso recomendo fazer primeiro o halasana e depois o sarvangasana (já publicado nessa coluna). De qualquer maneira um hipertenso deve conquistar essa postura gradativamente com a supervisão de um professor experiente.

Podemos entender que, na agitação da vida diária, ele está preparando o solo para plantarmos algo diferente, algo bem oposto ao nervosismo, impaciência e ansiedade. Não creio que haja calmante maior para o sistema nervoso no vasto reino dos yogasanas (junto do shavasana, já publicado nessa coluna).

Durante anos realizei workshops terapêuticos para combater a insônia. Descrente dos possíveis benefícios, os que sofriam de insônia eram trazidos por parceiros que dividiam a mesma cama e que talvez sofressem tanto quanto com a falta de sono do outro.

O resultado era espetacular, no final todos cochilavam ou dormiam na sala de aula. Esse é um poderoso antídoto para a insônia e mesmo que praticado pela manhã terá efeitos restauradores a noite na hora de dormir. E aí entra o que me refiro, a colheita de médio e longo prazo, porque os que praticarem com mais regularidade terão melhora substancial nesse problema crônico da insônia.

Mesmo assim, como no plantio na terra arada, a colheita do halasana nem sempre é só imediata, mas também a curto e longo prazo.

Um dos asanas mais importantes para aprendermos e treinarmos com regularidade!

O mestre de Hatha Yoga B.K.S.Iyengar disse, sobre a atitude correta de praticar yoga:

“Você deve ser como um fazendeiro: no dia que ele semeou ele não está feliz pensando na futura colheita, ele está feliz por ter plantado bem e por ter semeado bem!”

+ sobre o professor Sandro Bosco? Entra aqui, Instagram aqui e Youtube aqui.
Siga Asanas para o Bem no Instagram com #guiadeposturas 

Deixe uma resposta

Por uma vida mais consciente

Você quer receber as novidades e promoções do Nowmastê no seu e-mail?