Asanas para o bem – guia de posturas de Yoga – Ardha chandrasana

“Lembre-se que não pode existir saúde sem doença nem doença sem saúde. Reconhecer esse par de opostos dançando como uma oscilação da sua energia vital já é um caminho. A prática regular dos yogasanas (posturas) pode te ajudar nessa compreensão, que deve se dar não pela sua racionalidade, mas pelo seu próprio corpo.” Sandro Bosco

O guia Asanas para o bem é uma colaboração do professor Sandro Bosco para o Nowmastê. Ele está sendo formado com muito carinho asana por asana e é um verdadeiro presente para todos nós que estamos nesse caminho do Yoga e queremos que a nossa prática seja cada vez mais profunda e delicada. Esperamos que você curta. ;-)


Ardha chandrasana,

– Esta é uma postura que me traz uma forte sensação de liberdade. A medida que você se familiariza com a prática regular dos yogasanas, é natural começar a detectar os efeitos que cada postura lhe traz independentemente dos benefícios que os livros apontam. Isso desenvolve um repertório pessoal e  você passa a perceber que posturas podem ser mais úteis dependendo do seu dia ou do momento, em relação a como possa estar se sentindo em termos energético, físico, mental ou emocional.

Ardha Chandrasana que significa postura da meia lua, pertence a família das posturas de pé e por isso são eficazes para quebrar a inércia do corpo. Quanto mais praticamos as posturas de pé mais dispostos estaremos à ação. Não me refiro aqui somente a ação física que as posturas normalmente pedem, mas à ação na vida em geral.

Se estamos duvidosos e vivendo incertezas que nos paralisam, comece a praticar agora as posturas de pé e elas vão mostrar um caminho de movimento na sua vida, afastando-o da inércia.

A diferença deste asana em relação aos seus semelhantes – de pé – é que ele requer equilíbrio e isso funciona como um check-up imediato de como está nossa concentração. Se estamos com a mente agitada, o asana estará instável, mas se focarmos a atenção na firmeza dos músculos das duas coxas, pernas e pés, ele se estabiliza! Observe que a perna de apoio está bem perpendicular em relação ao chão e a que está erguida, um pouco acima da altura do quadril. O braço erguido dá uma direção importante para a estabilidade e balanço do corpo, uma vez que devemos mantê-lo esticado e vertical bem para cima na direção do teto e isso orienta seu corpo como um todo. Aos iniciantes, recomendo olhar para a frente e mirar em um ponto, e aos demais praticantes, olhar para cima e encontrar um ponto no teto e focar a atenção nele. Esta mesma orientação serve para quem está com os músculos do pescoço tensos e doloridos, pois nesses casos, é melhor olhar para frente e em outros, alternar olhando para o chão.

Essa postura tem muito a nos ensinar na prática da sábia combinação entre firmeza e leveza.

Se ficamos muito rígidos nos desequilibramos, mas se nos mantivermos firmes, junto a um estado de leveza, a permanência é maior.

Nunca é demais lembrar que yoga não é exercício físico!

A combinação da percepção das partes que o asana exige e a expansão da consciência para todo o seu corpo o fará perceber gradativamente que somos algo maior e mais poderosos do que acreditamos ser e que nosso coração tem mais amor contido para todos e para o mundo do que permitimos transmitir.

+ sobre o professor Sandro Bosco? Entra aqui, Instagram aqui e Youtube aqui.
Siga Asanas para o Bem no Instagram com #guiadeposturas 

Deixe uma resposta

Por uma vida mais consciente

Você quer receber as novidades e promoções do Nowmastê no seu e-mail?