Lendo agora
“As pessoas mais felizes são mais saudáveis”

“As pessoas mais felizes são mais saudáveis”

Avatar

Entrevista com Phuntsog Wangmo, Doutora em Medicina Tibetana, via Tibet House Brasil*

La Republica, Peru | por Maritza Espinoza | 5 de Maio 2016

Para a medicina ocidental, o corpo humano é uma máquina. A medicina tibetana vê o corpo da mesma maneira?

Na medicina tibetana, não pensamos no corpo como uma máquina, porque o corpo não se resume à parte física; há como que três portas ou três energias juntas: a energia do corpo, da mente e a verbal.

E as causas das doenças são as mesmas consideradas na medicina ocidental?

Tanto a medicina ocidental como a tibetana trabalham o corpo, como qualquer sistema de cura. Assim, algumas coisas podem ser iguais, mas há uma diferença: na medicina tibetana, não pensamos que as causas das doenças são apenas a dieta ou os hábitos, mas também o carma.

O que significa carma?

As ações passadas. Significa que algo negativo feito nesta vida terá consequências em uma vida seguinte. Os tibetanos vêm de um país budista, e portanto, não acreditamos que, quando o corpo morre, a mente e a consciência morrem também. Então, a doença não é apenas causada pela dieta e pelos hábitos, mas também pelo carma e suas consequências.

Significa então que pessoas que agem de forma positiva adoecem menos?

Sim. Por que, para a medicina tibetana, além das causas comuns das doenças, há esse nível mais sutil. Uma pessoa que tem um bom hábito, como fazer exercício, e também bons hábitos verbais e mentais, tem uma menor chance de contrair alguma doença. Pessoas com um bom coração em geral desfrutam mais a vida. As pessoas mais felizes são mais saudáveis. Portanto, sim – se você cuidar melhor da sua energia mental, física e verbal, você adoecerá menos.

E envelhecerão menos?  

Claro. Por exemplo, pessoas que se aborrecem frequentemente acabam tendo uma sobrecarga energética e danos no sistema cardiovascular, levando a sucessivas complicações. Se pudessem viver de forma mais relaxada, não apenas se sentiriam mais jovens e mais saudáveis, como também se sentiriam mais felizes e teriam uma melhor longevidade.

A medicina tibetana descarta os medicamentos da medicina tradicional?

Na China, a medicina tibetana é a medicina do governo. Temos hospitais alopatas ou de medicina ocidental com um departamento de medicina tibetana, e nos hospitais tibetanos temos departamentos de medicina ocidental. Portanto utilizamos os dois sistemas. Mas a medicina tibetana não utiliza medicamentos ocidentais, apenas medicamentos tibetanos.

Você nunca tomou uma aspirina?  

Sim, claro que sim.

É comum usar elementos da medicina ocidental?

Sim, eu utilizo. Cada medicina tem sua própria maneira de funcionar. Por exemplo, estava com dor na lombar e sabia que precisaria viajar para o Peru, e por isso tomei anti-inflamatórios. E também, para fortalecer meu corpo, tomo medicamentos tibetanos.

Para usar um medicamento tibetano é preciso assumir essa dimensão espiritual?

A medicina tibetana tem a ver com o senso comum – não é por si só uma derivação do Budismo. É como eu disse: se você cometer três ações negativas, estas poderão ser neutralizadas com três ações positivas de corpo; quatro ações verbais negativas, com quatro ações verbais positivas; três ações negativas de mente, com três ações positivas de mente. Isto provém dos princípios budistas, mas não se referem apenas ao budismo; referem-se também ao senso comum.

Como se trabalha com o carma de uma pessoa que não compartilha da crença budista?

Na medicina tibetana, consideramos que todas doenças genéticas são causadas pelo carma. Nesse grupo incluímos também certas doenças com múltiplas causas e que se referem a ações negativas que você cometeu contra alguém em uma vida passada e que agora está chegando a você. Essa é a razão pela qual as ações positivas não apenas previnem doenças nesta vida, como também nas seguintes.

Como uma pessoa comum pode fazer isso?

Em lugar de matar, salvar vidas. Em lugar de torturar, ser compassivo. Em lugar de odiar, tentar amar. Em lugar de mentir, dizer a verdade. Em vez de fazer fofocas, procurar recitar mantras. Há uma canção tibetana que diz: “Você está recitando muitos mantras, mas tem más intenções. Melhor cantar uma canção com uma boa intenção”.

A Tibet House Brasil busca valorizar a cultura Tibetana e, por meio dela, colaborar para espalhar a compaixão, não-violência, altruísmo e paz interior pelo mundo. A THB é uma organização sem fins lucrativos, existem outras Tibet House’s espalhadas pelo mundo com o mesmo objetivo.

tibethouse.org.br

Vá para cima