A abundância nos 7 níveis de consciência humana

Por Henrique Katahira*

Photo by Hal Gatewood on Unsplash

O universo é um sistema abundante, diverso, fluido e caótico. Quando o sistema está em equilíbrio, a energia flui de um elemento para outro, sem acúmulo desnecessário de energia e nem desperdício de recursos. O produto de um processo torna-se insumo para o próximo, levando o sistema à estabilidade interna e à necessidade de interagir com outros sistemas buscando equilíbrio externo para evoluir para um novo patamar de complexidade.

Desta forma, átomos de carbono começaram a se ligar a outros elementos, tornando-se em moléculas orgânicas que evoluíram em proteínas, que por sua vez, evoluíram em células eucariontes, que evoluíram em seres pluricelulares como peixes, répteis, anfíbios, aves, mamíferos, até chegarem ao Homo sapiens. Os Homo sapiens, assim como átomos de carbono e células eucariontes têm a capacidade de criar vínculos e cooperação, porém em nível muito maior do que qualquer outra espécie que já habitou este planeta devido a sua capacidade de se comunicar e organizar em grupos.

Esta abordagem é descrita por Richard Barrett no livro Coaching Evolutivo — Uma Abordagem Centrada em Valores para Liberar o Potencial Humano (Qualitymark Editora, 2015).

De acordo com esta abordagem, existem 7 níveis de consciência. Cada nível tem suas próprias necessidades e motivações primárias. A motivação para mudar para o próximo nível ocorre naturalmente quando obtemos estabilidade interna e equilíbrio externo.

Os níveis de consciência são descritas conforme a figura abaixo:

Fonte: Barrett Values Center

Ou em português:

  1. Sobrevivência: Sobrevivência física e segurança / Saúde, nutrição, finança, estabilidade, defesa pessoal / Violência, avareza, corrupção, territorialismo.
  2. Relacionamentos: Relacionamentos harmoniosos / Família, amizade, pertencimento, comunicação aberta, rituais / Culpa, ciúmes, julgamento, conflito, fofoca.
  3. Auto-estima: Criando um senso de auto-estima / Orgulho em si mesmo, autoconfiança, autodisciplina, autoimagem positiva / Arrogância, status, poder, glamour, rigidez
  4. Transformação: Crescimento contínuo e desenvolvimento / Adaptabilidade, melhoria contínua, coragem, trabalho em equipe (team-player)
  5. Coesão Interna: Encontrando significado existencial / Integridade, alinhamento, autenticidade, criatividade, paixão, honestidade, confiança
  6. Fazendo a diferença: Fazendo a diferença na comunidade / realização do significado, colaboração, intuição, mentoria, empatia
  7. Serviço abnegado: Serviço à humanidade e ao planeta / Compaixão, humildade, gerações futuras

Mas o que isso tem a ver com abundância?

Em primeiro lugar, vamos definir abundância como:

Capacidade de acessar os recursos que precisamos no momento que precisamos ao ativar conexões que geram estabilidade interna e equilíbrio externo.

Assim sendo, quanto mais alto nosso nível de consciência, mais fácil fica para acessarmos a tal abundância.

Quando estamos no nível 1(Sobrevivência) nossas necessidades fisiológicas de comida, abrigo e segurança nos impedem de acessar a abundância.

No nível 2 (Relacionamentos), estamos mais preocupados em ser amados, de pertencer ao grupo, família ou comunidade do que acessar a abundância.

No nível 3 (Auto-estima), o foco está em ser reconhecido, ter status, possuir bens e ter poder, podendo levar ao apego e à arrogância. Nesta fase, existe uma falsa impressão de abundância devido ao acúmulo de bens que não necessariamente leva a estabilidade interna e equilíbrio externo.

No nível 4 (Transformação), a maioria das pessoas buscam desenvolvimento e autoconhecimento mas continuam trabalhando em empresas ou negócios que o levaram até o nível anterior. A partir desse nível, as pessoas começam a se desapegar de coisas que eram símbolos de status e o poder e que deixaram de fazer sentido. Elas começam a ouvir seu chamado de alma e passam a dedicar seu tempo e recursos em obter conhecimentos que vão ajudar a buscar estabilidade interna suficiente para fazer um upgrade para o próximo nível. Como o foco aqui é a estabilidade interna, há pouca troca com o meio externo, dificultando o acesso à abundância.

No nível 5 (Coesão Interna), a pessoa está mais preparada para receber e encarar os desafios de alma e passa a alinhar suas ações com seus valores e propósito de vida, passando a realizar as coisas com paixão, criatividade, honestidade e confiança. A partir desse nível, o acesso à abundância se torna cada vez mais frequente. Suas decisões são, em sua maioria, baseadas no amor e na confiança gerando abundância e não no medo que gera escassez.

Nos níveis 6 (Fazendo a Diferença) e 7 (Serviço abnegado), a pessoa tem estabilidade interna o suficiente para levar seu chamado de alma adiante, conectando-se com grupos, redes e comunidades, levando impacto positivo ainda maior ao meio em que vive a levando assim ao equilíbrio externo nos níveis humano (nível 6) e planetário (nível 7). Como o número de interações aumenta, o acesso aos recursos necessários aumenta de forma exponencial. É nesses níveis que a abundância se manifesta em seu pleno potencial.

Para concluir, posso afirmar que a abundância é consequência de um processo natural de trocas com o sistema que levam ao equilíbrio externo e estabilidade interna. Esta dinâmica se manifestará em pleno potencial quando seu nível de consciência chegar nos níveis 5 ou 6. Mas esse equilíbrio só vai acontecer quando estivermos internamente estáveis e todas as nossas necessidades dos níveis 1, 2, 3 e 4 forem completamente atendidas.

A maioria das pessoas em transição de carreira estão no nível 4 (Transformação) aprendendo a lidar com seus medos, desenvolvendo seus talentos e descobrindo seu chamado de alma. Mas isso não significa que não é possível acessar a abundância nesse nível. Trabalhando seus medos e dando passos pequenos e conscientes é possível acessar pequenos potes de abundância colaborando em projetos paralelos que ajudam a levar ao próximo nível ou treinando a sua visão para enxergar a abundância através de ferramentas como a Fluxonomia 4D.

Mas isso é tema para um próximo post.
Até a próxima!

*Henrique Katahira é cocriador da Academia da Natureza e cuidadoria. Fluxonomista, permacultor organizacional, instrutor de yoga e empreendedor holístico.

Deixe uma resposta

Por uma vida mais consciente

Você quer receber as novidades e promoções do Nowmastê no seu e-mail?