Lendo agora
8 Pilares do Yoga

8 Pilares do Yoga

Avatar

Por Tat Ane Carolina*

Muito mais que um conjunto de posturas, o Yoga como filosofia de vida (segundo os Textos Clássicos) baseia-se em 8 etapas complementares, tendo em vista o aperfeiçoamento integral do praticante em sua busca por uma vida mais plena. Entendendo plenitude neste sentido como um nível de satisfação adequado para os aspectos físico, mental e emocional, em perfeita harmonia com a própria essência ou espiritualidade.

Quais seriam as 8 etapas?

1- Deveres
– Pureza
– Contentamento
– Austeridade
– Autoanálise
– Presença

2- Restrições
– Não ser violento
– Não mentir
– Não roubar
– Praticar o equilíbrio sexual
– Não cobiçar

3- Posturas
Etapa desenvolvida através das posturas fundamentais, bem como seus movimentos preparatórios e suas variações.

4- Respiração
Etapa desenvolvida através da consciência respiratória, seja em seu estado natural ou através de técnicas específicas que colaborem para o seu equilíbrio, diretamente relacionado ao controle das emoções.

5- Introspecção
Etapa desenvolvida através da observação da mente e seus mecanismos, aceitando a realidade interna como ela se apresenta.

6- Concentração
Etapa desenvolvida através da concentração da mente, seja na própria respiração, seja no movimento, seja nas sensações percebidas pelo corpo, seja num mantra, seja na visualização de determinado objeto. De forma natural ou utilizando-se determinada técnica, busca-se trazer a mente para um único ponto e evitar dispersá-la.

7- Meditação
Etapa desenvolvida através do estado de atenção sem tensão, caracterizado por presença e consciência.

8- Iluminação
Etapa desenvolvida através de estados elevados de consciência, capazes de promover o acesso às frequências de existência mais sutis, com percepções internas distintas para cada pessoa no que condiz à sensação interna de amor e completude.

Tendo esclarecido seu aspecto filosófico, o Yoga como estilo de vida nos permite experienciar e escolher, dentre todos os seus benefícios, aqueles que desejamos incorporar à vida diária, tendo em vista nossa verdadeira espontaneidade.

Claro que é possível praticar as posturas única e exclusivamente para uma melhora do corpo e da concentração, e isso por si só já estaria de bom tamanho. Mas o caminho é mais longo e requer um pouquinho mais de persistência para quem deseja realmente aprofundar-se nessa filosofia e trazer à tona aspectos de sua própria personalidade. Tanto os aspectos de natureza divina como os não tão desejáveis assim, no passo a passo do autoconhecimento, e defrontar-se com padrões de comportamento muitas vezes já bastante enraizados.

Ressalto ainda que não é necessário saber o que se busca da prática do Yoga para tornar-se praticante, tão pouco recomendo que se busque a prática alimentando demasiadas expectativas com relação aos resultados (físicos ou espirituais). Mas considero que o fato de saber e caminhar despreocupado dentro da própria intenção já seria um autoconhecimento, extremamente válido para obter da prática ou da filosofia do Yoga propriamente dita o melhor que ela pode te oferecer.

*Tat Ane Carolina – Idealizadora do Minuto Yoga. Professora certificada pelo Instituto de Yoga Clássico de São Paulo. Especialista em Gestão Educacional. Deeksha Giver pela Oneness University. Terapeuta Reiki pelo Senac/SC.
 
48 9 9104.6051

 

Veja comentários

Deixe uma resposta

Vá para cima