2016 – O ano do astro-rei, o Sol

revoluçãoSobreviventes de 2015, todos sãos e salvos? Pois preparem-se, se sobrou alguma coisa do ano que finda, em 2016 os últimos resquícios do Velho Mundo irão cair por terra. Nossa Jornada Terrena continua com fortes emoções e grandes decisões. E se eu e você aterrizamos na Nave Mãe Terra em plena rEvolução, ou mudamos ou mudamos.

Mudanças (2015).
Mudança dentro da mudança (2016).
Não tem mais pra onde correr.
O mundo do faz de conta precisa morrer.

Em 2015 pudemos sentir o nosso sangue ferver com as labaredas de Marte, o deus da guerra, regido pelo elemento Fogo. Pois em 2016 eis que o bastão é passado para o nosso astro-rei, o Sol. E adivinhem… Fogooooo!!!

2015 foi regido pelo arquétipo do Diabo, o confronto com as nossas sombras, aquele aspecto da personalidade que insistimos em negar. E ao penetrarmos no lado sinistro do nosso inconsciente encontramos o nosso estado selvagem original: nosso caráter violento e vingativo. Nossa fúria diante de ideias e crenças que se opunham às nossas. A ambição desmedida e a inveja escorrendo entre os dentes.

Aqueles que resistiram a esse embate continuaram operando inconscientemente, expressando o seu lado diabólico. A amarga ilusão de criticar e julgar o outro sem se dar conta de que o outro é apenas uma projeção de si mesmo.

Aqueles que se empenharam em “conhece-te a ti mesmo” puderam confrontar e integrar sua sombra, aceitando e acolhendo suas ambiguidades. Esses, deram mais um passo em direção à liberdade: o poder de escolha.

O confronto com o nosso inconsciente continua em 2016 e, diga-se de passagem, só “termina” em 2019.

2016 será regido pelo arquétipo da Torre, a destruição de antigos padrões. A energia desse ciclo nos convida à deixar cair por terra todas as máscaras que usamos para impressionar e esconder o lado “inadequado” da nossa personalidade. A queda dos falsos valores. A destruição das estruturas internas e externas que construímos para nos adaptar à um sistema repressor e egóico.

Chegou o momento de Crescermos, de sacrificarmos nosso lado infantil (aquele que não aceita ser contrariado), por algo maior. Maior que o nosso ego.

O astro-rei chega espalhando seu brilho e lançando luz por todos os cantos desse planeta. Sol é vida! Sol em excesso, queima. A regência do Sol nos remete às Divindades Criadoras: Buda, Jesus Cristo, Oxalá… Shiva! E lá vem Shiva! O destruidor e regenerador.

Mentiras reveladas. Consciência elevada. Criatividade exaltada. O fim de um mundo chega ao fim. O momento exige a energia do Criador. Da Criação. A Criação de um Novo Mundo. Árdua tarefa para uma humanidade adormecida e escravizada pelos padrões do inconsciente. Bela oportunidade para encontrarmos essa riqueza desconhecida que é a nossa Consciência.

O único Caminho para sobrevivermos à essa rEvolução é a Jornada do auto(re)conhecimento. Que exige investimento, muito investimento. Só a partir da auto investigação é que compreenderemos uma questão essencial e urgente: o sentido da nossa Existência.

Somos Um!
Salve 2016!
Eu e Você!
A Criatura e o Criador!

Via Ariana Chediak

 

Deixe uma resposta

Por uma vida mais consciente

Você quer receber as novidades e promoções do Nowmastê no seu e-mail?